Novo Aripuanã

O rio Madeira é a principal via de acesso para o município de Novo Aripuanã, localizado a 227 km de Manaus. E é constituído de território desmembrado de Borba e Manicoré, por isso está sua história ligada estreitamente a desses municípios.

Com vários pontos e produtos culturais, Novo Aripuanã possui características típicas de cidades de interior do Amazonas como, um encontro das águas, Praça de Alimentação, pôr do sol, banho do Aracu, Igreja Nossa Senhora da Conceição, e Orla da cidade.

Festas importantes acontecem em Novo Aripuanã, como: festa da padroeira (Nossa Senhora da Conceição), aniversário do município, FESTLENDAS – um grandioso festival de Lendas Amazônicas -, campeonatos de futebol de campo e futsal, rios, lagos, pesca turística e praias de areia branca.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Parque Nacional dos Campos Amazônicos
O Parque Nacional dos Campos Amazônicos foi criado em 2006 e possui uma área de 961.317 hectares localizados entre três estados brasileiros: Amazonas, Mato Grosso e Rondônia. Localiza-se entre Barcelos (AM), Colniza (MT), Machadinho d’Oeste (RO) e Manicoré e Novo Aripuanã (AM). O Parque abriga trechos dos rios Roosevelt, Branco, Madeirinha Guaribas e Ji-Paraná; e preserva as cabeceiras dos rios Manicoré e Marmelos.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
n/d

De Ônibus:
n/d

De Avião:
n/d

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Air Europa confirma início das operações Madri-Fortaleza a partir de dezembro

O acordo entre Governo do Ceará e Grupo Globalia foi firmado em junho último. O avião destinado a cobrir essa nova conexão será o Airbus 330-200, com capacidade para 299 passageiros

A companhia aérea Air Europa confirmou, nesta quinta-feira (22), que começa a conectar Madri (Espanha) com Fortaleza a partir de 20 de dezembro de 2019, com duas frequências semanais até junho de 2020, quando então passará a operar com três frequências. No último mês de junho, o Governo do Ceará assinou acordo com o Grupo Globalia para garantir os voos diretos por meio da Air Europa. O governador do Ceará, Camilo Santana, e o presidente do Globalia, Juan José Hidalgo, assinaram o documento na Espanha com a presença do secretário do Turismo, Arialdo Pinho.

As partidas do aeroporto Adolfo Suarez Madri-Barajas ocorrerão às terças e sextas-feiras às 15h45, chegando a Fortaleza às 20h10. Na direção oposta, o voo ocorrerá às 10h10, para pousar na capital da Espanha às 9h50. A partir de 21 de junho de 2020, a rota terá três frequências semanais às quartas, sábados e domingos. O avião destinado a cobrir essa nova conexão será o Airbus 330-200, com capacidade para 299 passageiros, dos quais 24 voam na classe Executiva.

A companhia aérea da Globalia, grupo líder em turismo na Espanha, informa que chega ao seu quarto destino no Brasil, de onde já voa desde Salvador (BA), São Paulo (SP) e Recife (PE). Com Fortaleza, a Air Europa possui um total de 24 destinos nas Américas e continua a se estabelecer no mapa aéreo como uma companhia de referência na conexão entre a Europa e a América.

O acordo entre Governo do Ceará e Grupo Globalia foi firmado em 21 de junho último, quando o governador Camilo Santana destacou que a parceria fortalece ainda mais o Estado do Ceará como hub aéreo do Nordeste. “Esta é mais uma conquista do Ceará, que tem se transformado num dos maiores centros de conexões aéreos do Brasil. Isso significa oportunidades de emprego nos hotéis, restaurantes, no transporte e em todos os setores de nossa economia”, comemorou o governador Camilo Santana.

Fonte: Governo do Estado do Ceará

Londrina é elevada à categoria A no Mapa Turístico Brasileiro

O Ministério do Turismo divulgou nesta segunda-feira (26.08), no Diário Oficial da União, o novo Mapa do Turismo Brasileiro 2019 – 2021. Londrina, na região Norte do Paraná, foi elevada a categoria A, juntando-se a Curitiba e Foz do Iguaçu. Na categoria A estão os municípios com maior fluxo turístico e maior número de empregos e estabelecimentos no setor de hospedagem pelas pesquisas feitas pelo Ministério do Turismo.

“Londrina não mediu esforços, em todos os aspectos, e foi reconhecida e recompensado nesta atualização, que vai ajudar em muito, a desenvolver ainda mais o turismo na região”, disse o presidente da Paraná Turismo, Jacob Mehl.

Ao todo 2.694 cidades de 333 regiões turísticas do país foram validadas pelo Ministério e incluídas na atualização da plataforma. No Paraná são 14 regiões turísticas, segundo o novo Mapa. Para o presidente da Paraná Turismo, Jacob Mehl, os números mostram crescimento do Estado no segmento. “O Paraná mostrou amadurecimento, comprometimento e organização dos municípios, que estão levando a sério o turismo como atividade de desenvolvimento”, disse ele.

BENEFÍCIOS – Entre os benefícios do Mapa do Turismo estão a categorização dos municípios turísticos, de A a E. Essa classificação é um instrumento de acompanhamento do desempenho das economias turísticas locais. Além disso, ele subsidia a priorização de investimentos por programas do Ministério do Turismo, incluindo ações de infraestrutura, qualificação profissional e promoção dos destinos, observando características peculiares de demanda e vocação turística.

Os 217 municípios do Paraná presentes do Mapa do Turismo se dividem em cinco categorias. Neste ano, os estados e municípios contaram com novos critérios, compromissos e recomendações estabelecidas pelo Ministério do Turismo, entre elas a obrigação de participação de instâncias de governança, em Conselho Municipal de Turismo e Cadastur.

DISPONÍVEL – O novo Mapa do Turismo está disponível para consulta no site www.mapa.turismo.gov.br e conta, ainda, com a emissão de certificado digital para os municípios que o compõem. A certificação é uma maneira de comprovar que o município está inserido no Mapa e faz parte do rol de 2.694 destinos brasileiros que trabalham o turismo como política de desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda.

Campos Gerais têm natureza, tropeirismo e cultura europeia

O Parque de Vila Velha, as Furnas e o Cânion do Guartelá estão no topo das atrações dos Campos Gerais e também entre as principais do Paraná. A região turística dos Campos Gerais envolve dez municípios e mescla tropeirismo com costumes e cultura trazidas por imigrantes europeus.

“A cultura dos Campos Gerais é bastante diversificada. A tropeira é a mais forte, mas podemos encontrar também características caboclas, faxinalenses, eslavas e germânicas”, diz o diretor técnico da Paraná Turismo, Rafael Andreguetto.

Fazem parte da região turística os municípios de Telêmaco Borba, Ventania, Pirai do Sul, Jaguarialva, Sengés, Tibagi, Castro, Carambeí, Ponta Grossa e Palmeira. Ao longo do tempo a região acolheu várias levas de europeus, com costumes e histórias que podem ser revividos no Roteiro dos Imigrantes. Há muitas construções históricas erguidas pelos primeiros que chegaram à região.

AVENTURA – Para quem gosta da prática do ecoturismo, as formações rochosas (espeleotemas) são uma boa opção. Está localizada em Ponta Grossa a caverna Olhos D’Água, que propicia uma aventura subterrânea. A aventura é descer os rios em botes infláveis, enfrentar corredeiras e descobrir um novo cenário natural a cada curva. Nos Campos Gerais, é possível fazer o rafting no Rio Iapó, tanto em Castro quanto em Tibagi.

HISTÓRIA E CULTURA – Em Ponta Grossa, além do tradicional passeio no Parque Estadual de Vila Velha, o visitante se encanta com os artesanatos locais. Em Castro, o turista é remetido ao passado, com os sítios e edificações históricos. Entre eles, a Casa da Cultura Emília Erichsen, a Casa da Praça, a Fazenda Capão Alto.

Em Jaguariaíva, o visitante pode conhecer o Palacete Conde Francisco Matarazzo, construído em 1920. A cultura viva também pode ser vista na Casa da Cultura e na Estação Ferroviária de em Arapoti, e na Casa da Memória em Carambeí. Em Palmeira são atrações turísticas o Espaço Cultural Sítio Minguinho, o Museu Histórico de Witmarsum e o Museu Histórico e Geográfico de Palmeira Dr. Astrogildo de Freitas.

RELIGIOSO – Paz espiritual, harmonia, autoconhecimento, equilíbrio e purificação da mente são a busca daqueles que praticam o Turismo Religioso. Na região dos Campos Gerais existe uma diversidade de santuários e igrejas. Em Palmeira, encontra-se o Santuário do Senhor Bom Jesus do Monte, onde, além das práticas religiosas, são oferecidos espaços para lazer.

São destaques em Ponta Grossa a Capela Santa Bárbara e a Paróquia Sant’Ana Catedral. O Mosteiro dos Monges, também em Ponta Grossa, oferece hospedagem, desde que previamente agendada, e uma loja se compra produtos feitos pelos próprios monges. Outro destaque é o Santuário de Nossa Senhora das Brotas, em Piraí do Sul, um ponto bastante visitado por se tratar da padroeira da Rota dos Tropeiros.

GASTRONOMIA – Dos tropeiros, surgiram as tradições gastronômicas da região. O Castropeiro reúne num só prato o feijão-tropeiro, o arroz carreteiro, o quibebe e outras iguarias. É uma homenagem a Castro e aos tropeiros. Em Tibagi, o prato típico é a Paçoca de Carne desfiada e temperada, socada no pilão com farinha, que servia como refeição aos tropeiros em suas jornadas pelo Caminho do Viamão.

O tradicional biscoito de polvilho é levemente salgado e crocante, amplamente consumido e encontrado nos estabelecimentos comerciais de Tibagi. Vale a pena também visitar Castrolanda, em Castro, e Witmarsum, em Palmeira, onde é possível se deliciar com café colonial e comprar produtos gastronômicos artesanais.

Na Colônia Santa Bárbara, também em Palmeira, são produzidos vinhos e queijos artesanais; em Carambeí, a gastronomia é marcada pela influência europeia, com destaque para as típicas e deliciosas tortas e bolachas confeitadas e pelo exótico sabor da comida indonésia.

LAZER – Nos Campos Gerais, as estruturas disponíveis para o lazer dos visitantes e da população se multiplicam, principalmente nas margens dos rios e em áreas rurais. Em Ponta Grossa, são muitos recantos para os que procuram lazer, sol e entretenimento. O Recanto Botuquara, o rio São Jorge e o Buraco do Padre são bons exemplos. Oferecem oportunidades de banhos em piscinas naturais, trilhas, camping, entre outras atrações.

VIAJE PARANÁ – Desenvolvido pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura e pela É-Paraná, o Portal Viaje Paraná (http://www.viajeparana.com) foi criado para concentrar todas as informações turísticas das cidades paranaenses que fazem parte do Mapa do Turismo Brasileiro. O site tem dicas e roteiros de viagem para 123 municípios e a intenção é disponibilizar, até o final do ano, informações sobre os 283 destinos com potencial turístico no Estado.

A plataforma é atualizada diariamente com dicas de passeios, hospedagem e gastronomia das cidades, além de trazer fotos e vídeos dos locais que podem ser visitados. Há opções para todos os gostos e bolsos, do turismo religioso a destinos para famílias e casais, além de alternativas de aventura, natureza e praia. Possui ainda páginas exclusivas sobre o Litoral e o Estado, com informações gerais sobre lugares mais visitados e dicas.

Desenvolvido pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, É-Paraná e Celepar, o portal oferece também um calendário com as principais festas e atrações das cidades paranaenses nos destinos turísticos. Outro diferencial é a possibilidade de verificar a quilometragem de um ponto a outro por meio da calculadora de distâncias, o que permite programar melhor o roteiro desejado.

A página está disponível em português e já conta com 70 destinos traduzidos para o inglês. O acesso pode ser via computador, tablet ou celular.

Amajari

Amajari é um município do norte do estado de Roraima e com uma população de 11.560 habitantes. Seus limites são a Venezuela a oeste e norte, Pacaraima a leste, Boa Vista a sudeste e Alto Alegre a sul. O município de Amajari possui uma região que tem 8 Terras Indígenas, totalizando 19 comunidades indígenas.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Estação Ecológica de Maracá
A Estação Ecológica, que tem pouco mais de 100 mil hectares e fica entre os municípios do Amajari e Alto Alegre, no norte de Roraima. A Esec de Maracá abriga um arquipélago com mais de duzentas ilhas, entre elas, a ilha Maracá, a terceira maior ilha fluvial do Brasil. A maioria dos arquipélagos fluviais é formada pela deposição irregular de material de fundo que viaja rio abaixo em dunas subaquáticas. Maracá é uma exceção à regra.

A unidade está inserida no bioma amazônico, em área de transição floresta-lavrado (savana). O relevo varia de 200 m a 400 m de altitude. Possui ecossistemas de floresta tropical úmida, floresta estacional semidecidual e três categorias de lavrado (savana). Conta ainda com buritizais, vegetação sobre afloramentos rochosos e vegetação aquática em lagos sazonais.

A área protegida contribui para a conservação de 22 espécies ameaçadas de extinção, além de abrigar 125 novas espécies descritas pela ciência. A unidade possui atualmente uma lista de 1.124 espécies de plantas estudadas, entre vasculares e avasculares.

# 2 Serra do Tepequém
A serra do Tepequém é um acidente geográfico localizado no município brasileiro de Amajari, estado de Roraima. Apresenta atrativos como o platô da serra do Tepequém, que chega a 1.022m de altitude.

[divider]■ CACHOEIRAS[divider]

# 1 Cachoeira do Paiva
Possui várias quedas, bem como piscinas naturais. Acesso mediano, tem que descer uma escadaria de aproximadamente 280 degraus , após esse obstáculo a cachoeira já é visível em dois níveis. Não existe linha de ônibus e nem van que faça o trajeto até a Serra do Tepequem. A entrada na cachoeira do Paiva é gratuita, tem uma escada de madeira que dá acesso à cascata.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
O acesso a ela dá-se parte pela BR-174, parte pela rodovia estadual RR-203, totalizando 158 km da capital Boa Vista.

De Ônibus:
nd

De Barco:
nd

De Avião:
nd

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Santa Isabel do Rio Negro

Santa Isabel do Rio negro, distante de Manaus a 683 km, foi fundada com a chegada dos missionários Salesianos, durante a Missão Salesiana em 1942 junto ao povoado de Santa Inês. Santa Isabel do Rio Negro fica interior do estado do Amazonas, em seu território estão localizados o Pico da Neblina e o Pico 31 de Março, que são os dois pontos culminantes do Brasil. Possui uma população de 25.156 habitantes.

Como seu nome já diz, ela é banhada pelo Rio Negro e possui belas praias, e destaca-se pela pesca esportiva, graças à grande concentração de tucunarés.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Parque Nacional do Pico da Neblina
O Parque Nacional do Pico da Neblina integra, junto aos parques nacionais da Serra do Divisor, do Cabo Orange, Montanhas do Tumucumaque e do Monte Roraima, o conjunto de Parques Nacionais fronteiriços da Amazônia brasileira. Seu território está distribuído pelos municípios de Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira.

O parque abriga os picos da Neblina e 31 de Março, que, respectivamente com 2.993 e 2 972 m de altitude, são as duas montanhas mais altas do Brasil. Com uma área de 2.252.414 ha, equivalente. O parque foi criado em 1979, tendo como objetivo preservar a riqueza natural intocada da região, além de proteger uma amostra representativa do ecossistema amazônico.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
nd

De Ônibus:
nd

De Barco:
nd

De Avião:
nd

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Araruama

Araruama, fica localizada na Região dos Lagos, no Estado do Rio de Janeiro. Um paraíso marcado pelas suas belas praias oceânicas e lagoas de águas calmas. É que ali os ventos sopram perfeitos e a enorme Lagoa é considerada uma das melhores esportes náuticos. Séculos atrás, a região era habitada por nações indígenas que deixaram como herança uma aldeia com 2.200 anos, considerada uma das mais antigas pesquisadas no país. No mesmo local onde foi encontrada a aldeia, Morro Grande, zona rural da cidade, existe uma outra tribo. Já o Museu Arqueológico, com sede na fazenda Aurora, trabalha no resgate e na valorização da cultura das populações pré-coloniais. A construção é tombada pelo INEPAC, por ser um belíssimo exemplar da arquitetura do século XIX, em estilo Neoclássico, construído na época áurea do café.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 TEATRO MUNICIPAL DE ARARUAMA
Construído no final da década de 70, O Teatro Municipal Prefeito Graciliano Torres Quintanilha, ou Teatro Municipal de Araruama, é o único auditório da cidade. Por esse motivo, serve de palco para os mais variados eventos: palestras, seminários, ensaios de coral, cursos para terceira idade, encontro de grupos de teatro, entre outros.

Já recebeu artistas como Fafy Siqueira, Dercy Gonçalves, Lady Francisco com o músical Os Dálmatas, além de Rodrigo Sant’anna e o grupo de comédia Surto. O Teatro Municipal Prefeito Graciliano Torres Quintanilha, ou Teatro Municipal de Araruama, conta com 230 lugares e uma programação diversificada, que vai de espetáculos teatrais e musicais, a palestras, cursos e seminários. No Salão Iconográfico são realizadas exposições e lançamento de livros.

# 2 MUSEU ARQUEOLÓGICO DE ARARUAMA
O Museu Arqueológico de Araruama conta, através de painéis e fotos, a história da ocupação da região pelos índios Tupinambás até serem dizimados. Parte do acervo descoberto no sítio arqueológico de Morro Grande encontra-se no Museu Nacional, no Rio de Janeiro.

O museu ocupa uma sala da Casa de Cultura de Araruama. Seu prédio, tombado como patrimônio material, abrigou em 1859 a Câmara Municipal, Júri e Cadeia e, em 1871, a antiga Prefeitura. Desde 2003 funciona como Casa de Cultura, onde acontecem exposições temporárias, eventos culturais, palestras e workshops. A Casa de Cultura abriga ainda o Centro de Memória Municipal, que reúne documentos e objetos da história de Araruama desde o período pré-colonial. O espaço também conta com uma pinacoteca e um telecentro.

# 3 IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO
A igreja foi construída em 1867. A matriz original sofreu um incêndio em 1945 – as chamas destruíram toda a construção, restando apenas sua estrutura. e foi reconstituída. As obras de restauração não seguiram o estilo barroco original, modernizando a construção, que recebeu adornos característicos dos prédios públicos da década de 1940, além de uma varanda em estilo art-decó. Da época de sua construção, tudo que sobrou foram as palmeiras imperiais, que ainda enfeitam o pátio da Igreja.

[divider]■ PRAIAS[divider]

# 1 LAGOA DE ARARUAMA
Localizada entre a Restinga de Massambaba e a rodovia Amaral Peixoto, é a maior fonte de recursos naturais do município. Em suas margens estão situadas salinas. Formada pelas lagoas de Pitanguinhas, Vermelha e Pernambuca, a Lagoa de Araruama tem 220km de área e banha os municípios de Saquarema, Araruama, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande e Cabo Frio. É muito utilizada como raia para a prática de esportes náuticos.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Para quem vem do Rio de Janeiro, acesso pela ponte Rio-Niterói, estrada Niterói-Manilha (até Rio Bonito) e RJ-124 (Via Lagos);
Para quem vem de São Paulo, acesso pela BR-116 e RJ-124;
Para quem vem de Belo Horizonte, acesso pela BR-040 e RJ-124;

De Ônibus:
A viação 1001 (www.autoviacao1001.com.br) possui ônibus partindo do Rio de Janeiro e Niterói em direção à Saquarema;

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Novo Airão

O município de Novo Airão, distante a 180 km de Manaus, é hoje um destino facilmente alcançável em virtude da localização estratégica. Novo Airão impressiona por localizar-se dentro de uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável e próximo a dois dos principais Parques Nacionais da Amazônia: o Nacional do Jaú e o Nacional de Anavilhanas. Para quem gosta de contato direto com a natureza, Novo Airão oferece grandes momentos, desde a observação dos pássaros; e passeio pelos rios entrecortados pelas imensidão florestal da Amazônia e nos mergulhos com os botos.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Parque Nacional de Anavilhanas
O Parque Nacional de Anavilhanas foi criado com o objetivo de preservar o arquipélago fluvial de Anavilhanas, com território distribuído pelos municípios de Manaus, Iranduba e Novo Airão. Abrangendo cerca de 400 ilhas, o parque situa-se no rio Negro.

# 2 Parque Estadual Rio Negro Setor Norte
O Parque Estadual Rio Negro Setor Norte, possui uma área de 146.028,00 hectares e integra com o Parque Nacional do Jaú e a Estação Ecológica Anavilhanas um conjunto de unidades de conservação do baixo rio Negro que constitui a Reserva da Biosfera da Amazônia Central. O Parque é, também, uma das poucas unidades de conservação estaduais de proteção integral com significativas porções de ecossistemas de águas pretas típicos da bacia do rio Negro.

Além de espécies endêmicas regionalmente, ocorrem no Parque populações de vários animais ameaçados de extinção, como o peixe-boi (Trichechus inunguis), a ariranha (Pteronura brasiliensis), anta (Tapirus terrestris).

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Da capital Manaus, acesso pela AM-070, até a cidade de Manacapuru e depois acessar a AM-352 até Novo Airão.

De Ônibus:
A Viação Aruanã, faz o trajeto de Manaus até Novo Airão. Site: www.aruanatransportes.com

De Barco:
Existem saídas do Porto São Raimundo em Manaus, o trajeto tem aproximadamente 8 horas de viagem.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Sumidouro

Sumidouro possui 14.168 habitantes e foi fundada em 1890. Tem como atrativos históricos, túneis construídos por mão de obra escrava da época do “Brasil-Colônia”, que serviam de passagem para a antiga linha férrea da cidade.

Sumidouro possui casarões históricos, Capela Senhor dos Passos, construída em 1875, praças, entre outros atrativos que atraem visitantes para a pequena cidade do interior.

Abundantes cachoeiras encontram-se na região de Sumidouro, Como a famosa Cascata Conde d’Eu, maior em altura de queda d´água do estado do Rio de Janeiro.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Pedra Duas Irmãs
Com 30 metros de altura, a Pedra Duas Irmãs é constituída de duas grandes rochas que se juntaram formando uma espécie de túnel, por onde passa a rua José Muniz de Andrade. Ao redor, destacam-se árvores de caules retorcidos. No local há um paredão rochoso com uma caverna e salões de pedra.

# 2 Capela Nosso Senhor dos Passos
Construída em 1875 por escravos, a capela é toda de pedra. Possui quatro colunas de sustentação, portal em arco, cruz e piso também de pedra.

# 3 Biblioteca Waldemar Belém Teixeira Ponciano
Criada em 1987, a Biblioteca Pública Municipal Waldemar Belém Teixeira Ponciano tem cinco mil títulos para consulta e um telecentro. Seu nome homenageia um ex-prefeito de Sumidouro e sua sede fica na Câmara Municipal.

# 4 Ponte Seca
Construída na segunda metade do século XIX, a Ponte Seca fazia parte da estrada de ferro Nova Friburgo – Além Paraíba. Possui nove grandes pilares em blocos de pedras com cerca de quatro metros de largura e seis de comprimento. Teria sido construída por escravos e o pilar mais alto mede aproximadamente doze metros de altura.

# 5 Caverna Ceci e Peri
A Caverna Ceci e Peri tem duas entradas e várias galerias de dimensões e profundidades ainda desconhecidas. Acredita-se que o local guarda inscrições primitivas e possíveis vestígios arqueológicos. A proximidade com o acidente geográfico Sumidouro das Pedras aponta para uma provável rede interligada de galerias subterrâneas nessa região.

# 6 Sumidouro das Pedras
Acidente geográfico do rio Paquequer, onde suas águas desapareciam por baixo das pedras e ressurgiam cerca de 300 metros adiante. O Sumidouro das Pedras deu origem ao nome da cidade. Em uma enchente na década de 1950, o trecho foi coberto pelas águas.

# 7 Fazendas Históricas
A fazenda Boa Vista data do início do século XX. No lugar de uma antiga moenda de café, funciona hoje um alambique onde é produzida e comercializada a cachaça artesanal Boa Vista. Ainda estão conservados o terreno de secagem do café e a roda d’água. No primeiro andar do prédio, fica o porão que servia como senzala. A casa possui dois salões, seis quartos com móveis da época, 14 janelas e seis entradas. Presume-se que tenha sido erguida por mãos escravas. O terreno tem curral, lavouras de cana-de-açúcar e milho, e diversas árvores frutíferas. Há um posto de venda de artesanato e produtos da roça. Outra fazenda importante da região é a Santa Cruz (RJ-148), fundada em 1880, com dois andares, 17 quartos e três salões. Possui também um antigo engenho de café, moinho de fubá, engenho de cana e pequena usina de energia elétrica. A paisagem ao redor é de açudes, nascentes de água potável e 50 hectares de mata virgem cortada pelo córrego Vermelho. A Fazenda Santa Cruz é parte da antiga linha férrea Leopoldina e abriga os túneis Três Irmãos.

# 8 Igreja Nossa Senhora da Conceição do Paquequer
A igreja em homenagem à santa padroeira da cidade foi construída em 1843, período do início do desenvolvimento econômico do município. O teto é de madeira com pinturas, e tem dois lustres de cristal. O piso central da igreja é de mármore com losangos azuis e brancos, e o altar possui arco de pedra e colunas em estilo neoclássico

# 9 Casarões
A Casa de Cultura Abel de Jesus Gonçalves funciona no espaço chamado pelos moradores de Casarão, erguido em uma antiga fazenda de café do século XIX. Ali são realizados eventos culturais que incluem shows, feira de artesanato e recreação infantil. O espaço abriga também o centro de documentação histórica da cidade, Pró-Memória, desde 1991.

Em 2008 o prédio passou por uma reforma, realizada pelo grupo de voluntários Amigos da Cultura de Sumidouro com doações da comunidade, para abrigar a Sala de Cinema João Jardim. Instalada na antiga senzala da casa e com espaço para 60 pessoas, a Sala de Cinema faz parte do Projeto Oscarito, do governo estadual. Como não havia cinema na cidade desde a década de 1960, muitos moradores se envolveram na obra e colocaram a mão na massa junto com os voluntários da Cultura.

Construído em 1827 , em estilo colonial e estrutura de madeira de lei, o Casarão é uma das relíquias da cidade. Abrigou o Ginásio São José de Sumidouro, a Escola Normal Nossa Senhora das Graças, e mais tarde, a Escola Estadual São José de Sumidouro.

[divider]■ CACHOEIRAS[divider]

# 1 Cascata Conde d’Eu
A Cascata Conde d’Eu é a maior cascata em queda livre do Estado. Com 127 metros de altura, a Cascata Conde d’Eu é um acidente geográfico do Rio Paquequer que nasce no município e deságua no Rio Paraíba do Sul. O nome do ponto turístico é uma homenagem ao Conde d’Eu, marido da princesa Isabel. Segundo historiadores, provavelmente, foi uma forma de autoridades locais homenagearem a Corte Imperial no segundo reinado.

Ao longo dos séculos, a precipitação da água em grande elevação e volume escavou uma ampla garganta na rocha em sua base. Dessa forma, o impacto da água no “poço” forma uma nuvem, semelhante a um véu. Metros abaixo, grandes rochas arredondadas pela erosão, formam pequenas cachoeiras, cercadas de vegetação típica da região e poços.

# 2 Salto do Piau
O Salto do Piau, conhecido por Bolieiro (RJ 148, km 2, Asa Norte), é um poço de dez metros de diâmetro e quatro metros de profundidade. Os peixes que sobem o rio Paquequer para desova tentam alcançar a parte superior do leito e se concentram no Bolieiro, procurado para pesca de tarrafa e de linha. As espécies mais encontradas são piau, cascudo, bagre, acará, traíra e lambari.

# 3 Cachoeira Bela Joana
A cachoeira Bela Joana (Estrada RJ 148, Fazenda Bela Joana), de cerca de 20 metros, possui dois saltos, piscina natural e uma pequena praia fluvial do rio do Encanto.

# 4 Cachoeira da Boa Ventura
A cachoeira da Boa Ventura (fazenda Boa Ventura) tem queda de 60 metros de altura e um poço de dez metros de diâmetro.

# 5 Cachoeira da Bahiana
A Estrada RJ 148, km 10, Córrego do Encanto, uma queda d’água com mais de 50 metros de altura, formando um véu branco e uma piscina natural.

# 6 Cachoeira de Campinas
Há ainda as cachoeiras de Campinas (estrada Sumidouro, Campinas).

# 7 Cachoeira do Pontilhão
RJ-148, Asa Sul, km 5, Córrego Boa Vista, ambas de 35 metros de altura. Todas as atrações estão abertas à visitação.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Da cidade do Rio de Janeiro o acesso pela BR-116 e em seguida acessar a RJ-156 até Sumidouro. De Nova Friburgo, acesso pela RJ-148.

De Ônibus:
Viação Teresópolis, possui linhas que saem da cidade Serrana de Teresópolis. Em Nova Friburgo também saem linhas para a cidade.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Conceição de Macabu

Conceição de Macabu é conhecida como “Cidade Simpatia” e  ganhou esse apelido por ser uma acolhedora rota de passagem. Passageiros que tomavam o trem em Campos ou Macaé paravam na cidade para almoçar e se surpreendiam com a hospitalidade do povo, conta Marcelo Abreu, historiador respeitadíssimo do local e entusiasta da cultura macabuense. Bons representantes dessa simpatia são os seresteiros, que se reúnem em agradáveis encontros e reforçam o grande time de músicos da cidade.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Casa da Seresta
Inaugurada em 15 de março de 2008, a Casa da Seresta é o ponto de encontro dos músicos macabuenses. Antes dela, eles se reuniam em botecos, calçadas e varandas de casas seresteiras nos encontros semanais dedicados ao gênero musical mais tradicional de Conceição de Macabu.

Desde sua inauguração, as rodas de seresta, realizadas às sextas-feiras, são comandadas pelo Grupo Lua Cheia, o mais representativo da tradicional seresta macabuense. Junto desde 1979, o grupo também recebe convidados.

# 2 Praça Doutor José Bonifácio Tassara
Não há prédios tombados em Conceição de Macabu, mas há construções que já entraram em processo de tombamento a partir da lista de patrimônios materiais a serem restaurados e preservados. Todos são sugeridos pela Lei de Tombamentos e Registros Imateriais de Conceição de Macabu, de autoria do historiador Marcelo Abreu, ex-diretor municipal do Departamento de Cultura. Os mais importantes estão na Praça José Bonifácio Tassara: a Estação Ferroviária, a Igreja Matriz, a Casa da Cultura, o Edifício Leão XIII e a Câmara Municipal.

# 3 Casa de Cultura Professor Adelino de Campos Tavares
Criada em 2004, a Casa de Cultura funciona em um prédio que abrigou uma unidade de beneficiamento de grãos. No espaço de amplas instalações são realizados encontros culturais e exposições.

# 4 Museu Sociorreligioso Dom Clemente José Carlos Isnard
Fundado em 8 de setembro de 2007 pelo padre Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça, o museu é mantido pela paróquia de Nossa Senhora da Conceição e preserva importantes acervos histórico-religiosos, incluindo imagens, objetos, paramentos, móveis e documentos. O museu funciona no prédio da antiga Estação Ferroviária. Imagens, santos e objetos sacros já constam do inventário de Arte Sacra Fluminense-Norte/ Noroeste, do INEPAC.

# 5 Espaço Cultural Antônio Carlos Figueiredo
O Anexo da Câmara Municipal é considerado um importante espaço cultural da cidade. O auditório é o principal palco para apresentações artísticas e reuniões culturais, palestras e seminários. Entre outras manifestações culturais, abriga eventos de música, em especial as apresentações dos alunos da Escola Municipal Macabuense de Música e Arte.

# 6 Parque Natural Municipal do Piabas
Complexo de flora e preservação ambiental em uma área de 242 hectares. Nele, estão as principais nascentes do rio Macabuzinho , que é responsável por 70% do abastecimento de água da população macabuense. Não é procurado por turistas por não ter cachoeiras.

[divider]■ CACHOEIRAS[divider]

# 1 Cachoeira Amorosa
O município de Conceição de Macabu fica entre as bacias hidrográficas do Rio Macabu e do Rio Macaé, oferecendo parques naturais, serras e cachoeiras para nenhum amante da natureza botar defeito. Uma das cachoeiras mais famosas é a Amorosa, que tem altura aproximada de 15 metros e uma piscina natural com pouca profundidade. Fica na região do rio Carukango.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Acesso pela BR-101 e posterior acessar a RJ-182 até a cidade de Conceição de Macabu.

De Ônibus:
Do Terminal Rodoviario Novo Rio na cidade do Rio de Janeiro, guichê da viação 1001.
Site: Viação 1001 – www.autoviacao1001.com.br

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]