Bento Gonçalves

Localizado na Serra Gaucha, a 115 km da capital Porto Alegre, Bento Gonçalves é um dos mais belos e importantes roteiros turísticos do Rio Grande do Sul. A vocação industrial e turística, as paisagens “bordadas de parreirais”, fazem da cidade um lugar acolhedor e de natureza exuberante.

Atualmente, Bento Gonçalves conta com uma população com cerca de 107 mil habitantes, A cidade é reconhecida como um dos maiores pólos moveleiros do sul do Brasil, e considerada a Capital Brasileira da Uva e do Vinho. Escolhida pelo Ministério do Turismo como um dos 65 pólos indutores de turismo do Brasil, a Capital Brasileira da Uva e do Vinho tem na hospitalidade uma de suas características mais marcantes. Anualmente, a cidade recebe uma média de 800 mil visitantes, que buscam o clima romântico da serra, o bom vinho e a farta gastronomia, herdada dos imigrantes italianos. Há ainda a opção de participar das inúmeras feiras e congressos nacionais e internacionais, ou desfrutar do contato direto com a natureza, praticando atividades de ecoturismo.

As temperaturas mais amenas, que podem chegar até três graus negativos no inverno, proporcionam um espetáculo magnífico da natureza. As quatro estações bem definidas garantem também uma mescla de paisagens, que incluem os vales bordados de parreirais no verão, o colorido bucólico do outono, as frias manhãs de inverno com os vales cobertos de geada e o exuberante colorido da primavera.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

#1 Igreja Cristo Rei
A Igreja Matriz Cristo Rei, edificada em estilo gótico moderno, foi inaugurada em 14 de novembro de 1954, levando cinco anos para ser construída. Seu interior possui um vão de 40 metros de altura e 3 altares. Numa das naves laterais está localizada a “fonte de água benta”, onde simbolicamente dois anjos seguram a pia sobre a qual está a torneira com a “água benta”. A obra foi realizada em tijolo e revestida de cimento com pigmentação amarela pelo escultor alemão Alfredo Staege. As janelas são vitrais com ornamentos de brocados e suas colunas são espigões subindo ao espaço.

#2 Igreja de São Bento
A Igreja São Bento, edificada totalmente em concreto, é uma homenagem aos imigrantes italianos que colonizaram a região, tornando-se um marco permanente da sua principal atividade: a vitivinicultura. O altar e as portas da Igreja são de madeira. As quatro portas representam um barril e os bancos trazem gravada a simbologia da uva. Dezenas de vitrais coloridos embelezam ainda mais “a igreja em forma de pipa”. Sua edificação é totalmente de concreto, medindo 13,5 metros de altura e 22,5 metros de diâmetro, podendo abrigar até mil pessoas.

#3 Cooperativa Vinícola Aurora
A Cooperativa Vinícola Aurora foi a primeira vinícola de Bento Gonçalves a abrir suas portas ao público. No início dos anos 80 criou um Centro de Recepção Turística que recebe mais de 100 mil visitantes por ano. Ônibus e pequenos grupos de excursionistas procedentes de vários estados visitam diariamente as instalações da Cooperativa e acompanham de perto o processo de elaboração do vinho.

O roteiro mostra os diversos procedimentos da arte de elaborar vinhos, percorrendo corredores com barris de carvalho, tanques de inox e enormes pipas de madeira. O trajeto é interligado por túneis, que fazem o visitante vivenciar um pouco da cultura e tradição locais, e o romantismo contagiante do mundo do vinho. O ponto alto da visitação é a chegada à Cave di Bacco. No local a vinícola oferece degustação gratuita de toda a sua linha de produtos. O turista tem a oportunidade de adquirir os produtos degustados.

#4 Parque Temático Epopeia Italiana
Visitar o Parque é embarcar numa verdadeira viagem pelo tempo que conta a história real de um casal de imigrantes italianos, Lazaro e Rosa.

No Parque Temático Epopeia Italiana o visitante se envolve no clima da época. Em nove cenários com efeitos especiais de som e luz, que retratam as emoções e necessidade que os imigrantes tiveram desde a saída da Itália até chegar no Brasil. Ao final, todos são convidados para uma saborosa degustação de vinho, suco de uva e biscoito colonial (receita do Lazaro e da Rosa).

#5 Parque Dall Pizzol
O local é próprio pra pesca esportiva, mini zoo com animais nativos e domésticos da região, adega e local típico para aquisição de produtos coloniais.

#6 Passeio de Maria Fumaça
São 23 quilômetros de trajeto cem torno de duas horas de duração, entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa. Durante o passeio, a festa é comandada pelo coral típico, pela dupla que toca a tarantela e pelos gaúchos.

Os turistas são recebidos na estação de Bento Gonçalves, com um saboroso vinho e uma deliciosa degustação de queijos. A recepção em Garibaldi acontece ao som de música italiana e gaúcha, enquanto todos degustam espumante. Em Carlos Barbosa, um show de música italiana marca o momento em que todos se encontram e confraternizam embalados pelas canções. Alguns passageiros dizem adeus, enquanto outros embarcam de volta.

#7 Roteiro Caminhos de Pedra
A história de um povo contada em forma de arquitetura, paisagens e costumes. Assim poderia ser definido o roteiro Caminhos de Pedra. Tombado como Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul, o roteiro com 12km de extensão resgata o passado em busca da valorização e preservação dos costumes dos imigrantes italianos. As centenárias casas de pedra da rota incluem moinhos, cantinas coloniais, casa de massas caseiras, teares, casa de doces e muito mais, deixando lado-a-lado a história e as experiências de vida dos imigrantes e seus descendentes.

#8 Ferradura do Vale do rio das Antas
Prensado por ambos os lados de montanhas o Rio das Antas forma um vale profundo ziguezagueado que se assemelha ao desenho de uma ferradura. O espetáculo da natureza pode ser conferido através de belvederes instalados ao longo da RST 470. O local fica a cerca de 14 quilômetros do centro de Bento Gonçalves.

#9 Rafting no Rio das Antas
A descida é realizada no Rio das Antas, num trecho aproximado entre 08 e 12 km (dependendo a empresa contratada), entre as cidades de Nova Roma do Sul e Nova Pádua, envolvendo também Farroupilha e Bento Gonçalves. Duração da descdia em torno de 02h30min e de um turno para a atividade. Corredeiras de níveis II, III e IV.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Vias de acesso: BR/RS 470, RS 431 – norte-noroeste de Porto Alegre, 113 km.

De Ônibus
Estação Rodoviária
End.: Av. Maurício Cardoso, 1149
Tel.: (54) 3451-1311
Site: www.rodoviariabento.com.br

Empresas de ônibus que atendem o Município: Unesul ( Tel.: (+55) 51 3375-9000 e Bento
Tel.: (+55) 54 3452-2977

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Cambará do Sul

Cambará do Sul está localizado na Serra Gaúcha, famosa pelos seus cânions chegando até 900 m de altura. A região é conhecida como “Aparados da Serra“, e constitui a maior concentração de cânions do Brasil, o mais famoso chamado de “cânion do Itaimbezinho. Em Cambará do Sul é onde encontra-se o “Parque Nacional de Aparados da Serra” e “Parque Nacional da Serra Geral“.

Distante cerca de 190 km de distância da capital Porto Alegre, a cidade possui apenas 6.500 habitantes. Cambará do Sul é pequena, sendo possível fazer o deslocamento na cidade todo a pé. Já os passeios aos cânions é preciso contratar os serviços de uma agência de turismo ou de transporte como táxi, vans ou aluguel de carros.

A criação do parque é antiga de 1959, possuindo 13.060 ha e forma junto com o Parque Nacional da Serra Geral um importante corredor ecológico com pouco mais de 30.000 ha.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Parque Nacional de Aparados da Serra
Situado junto à porção leste da divisa dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, na borda da Serra Geral, o Parque Nacional de Aparados da Serra está em uma das regiões de maior altitude do sul do País. Os locais mais visitados são as cachoeiras das Andorinhas e a do Véu de Noiva, que deságuam no fundo do abismo por onde corre o rio do Boi. A trilha do Vértice, com aproximadamente 500 metros de percurso, situada próximo ao centro de visitantes, pode ser percorrida sem o acompanhamento de condutores habilitados e permite observar, além da cachoeira das Andorinhas, o vértice do cânion Itaimbezinho.

# 2 Cachoeira dos Venâncios
Consiste em um excelente local para camping após a visita aos cânions. Está localizado a 17 km de Cambará do Sul, ao fundo do Capão Penso sobre o Rio Camisas. Esta cachoeira está dividida em quatro quedas e suas águas são cristalinas.

# 3 Igreja Matriz São José
Fica bem no centro da cidade. Sua arquitetura é em estilo barroco. No interior há pinturas feitas pelo assessor do pintor Aldo Locatelli. No altar há imagens do Monte Calvário e de diversos santos, como São José, Virgem Maria e Nossa Senhora do Rosário. A altura da torre da Matriz é de 32 metros de altura.

# 4 Parque Nacional da Serra Geral
O Parque Nacional da Serra Geral foi criado em 1992, com uma área de 17.300 ha. Suas principais atrações são as trilhas do Mirante do Fortaleza, da Pedra do Segredo e da Borda dos Cânions.  Está situada na divisa entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Assim como seu vizinho Aparados da Serra, aqui também destaca-se formações geológicas bastante peculiares, caracterizada principalmente por paredões verticais de até 700 m de altura em transição abrupta com o relevo suave ondulado do planalto, como se esse tivesse sido “aparado” a faca.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Saindo de Porto Alegre, pela BR-290, entra-se à esquerda na BR-116, em direção a Canoas. Quando passar Novo Hamburgo entra-se à direita na RS-239. Chegando em Taquara dobra-se à esquerda, na RS-020, em direção a São Francisco de Paula. É preciso muita atenção nesta estrada. É sinuosa e sem acostamento. Chegando ao trevo de acesso a São Francisco de Paula dobra-se à esquerda, no Centro de Informações Turísticas em direção a Cambará do Sul.

De Ônibus
De Porto Alegre saem linhas de ônibus para Cambará do Sul diariamente. O ônibus é comum, faz paradas o tempo inteiro e leva 5h48min de viagem. Já de Caxias do Sul e São Francisco de Paula há mais opções de horários e ônibus.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

São Luís

São Luís capital do Maranhão, está localizada no nordeste do Brasil. São Luís foi a única cidade brasileira fundada pelos franceses no século XVII. Seu centro histórico é reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.

A riqueza do seu patrimônio arquitetônico e cultural que São Luís concentra a sua grande força para atrair um maior número de turistas. O conjunto arquitetônico de seu Centro Histórico é um dos mais significativos do Brasil, com cerca de 4000 imóveis dos séculos XVIII e XIX e distribuídos por mais de 220 hectares, tombados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco desde 1997. Os casarões seculares, são em sua maioria, revestidos de azulejos portugueses pintados à mão.

Nos bairros da Praia Grande e Desterro, a região concentra hoje, museus, centros de cultura, teatros, cinema, bares, restaurantes, feiras e uma infinidade de lojas de artesanato.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Convento das Mercês
A Igreja e o Convento das Mercês foram erguidos pelo Padre Antônio Vieira em 1654 para abrigar a Ordem dos Mercedários na Praia Grande. Funciona ali hoje a Fundação da Memória Republicana, o Memorial José Sarney, o Centro Modelador de Pesquisa da História Republicana e o Instituto da Amizade dos Povos de Língua Portuguesa. De início, as instalações eram feiras de palha e taipa, mas com o tempo a construção foi remodelada com materiais mais resistentes, e com isso, o prédio foi tomando proporções maiores.

O Governo tomou posse das instalações em 1905, quando realizou novas reformas para que pudessem abrigar o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar do Estado. Inverteu também as entradas de acesso à construção, que antes eram voltadas ao mar.

# 2 Teatro Arthur Azevedo
O teatro mais famoso de São Luís é também um dos mais antigos do País. Conserva os traços neoclássicos originais que guardam mais de 200 anos de história e uma beleza comparável a poucos. Inaugurado em 1817, como Teatro União, foi só no século seguinte que finalmente ganhou o nome grande mestre da dramaturgia brasileira.

# 3 Palácio La Ravardiére
O Palácio de La Ravardière é a sede da prefeitura de São Luís do Maranhão, no Brasil. Com origens no século XVII, é um marco importante do centro histórico da cidade. O nome do Palácio é uma homenagem a Daniel de la Touche, senhor de La Ravardière, considerado fundador da cidade, em 1612.

# 4 Forte Santo Antônio
A estrutura primitiva desta fortificação é atribuída aos franceses, durante os combates de 1614. Posterior se tornou um marco histórico do período de resistência portuguesa às invasões estrangeiras, o Forte de Santo Antônio da Barra foi totalmente revitalizado pelo Governo do Maranhão, em parceria com a Prefeitura de São Luís e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Localizado próximo ao Espigão da Ponta D’areia, em São Luís, o centro cultural conta com o Museu de Embarcações tradicionais maranhenses, um memorial sobre a história do Forte e o Museu da Imagem e Som.

# 5 Museu das Embarcações
A nova casa de cultura contempla o museu de embarcações onde o visitante poderá conhecer 18 tipos de embarcações tipicamente maranhenses por meio de maquetes em escala. As maquetes foram confeccionadas por mestres carpinteiros do Estaleiro Escola. Diferenciadas de outras pela originalidade de suas formas, as embarcações maranhenses tradicionais fazem parte do patrimônio cultural da cidade.

# 6 Museu da Imagem e do Som
O Museu contempla uma sala de projeção com diversos vídeos sobre a cultura maranhense, uma pequena mostra de equipamentos de audiovisual antigos como máquinas fotográficas, projetores, monóculos etc. Também disponibiliza nova tecnologia com o uso de óculos de realidade virtual, transportando os visitantes para os destinos turísticos do Maranhão.

# 7 Parque Estadual do Bacanga
O Parque localizado na capital maranhense, com uma área de 2.634 hectares, localizado a sudoeste do centro urbano, entre a margem direita do Rio Bacanga e a região do Maracanã. O Parque preserva um pedaço da floresta amazônica, protetora de mananciais, cujas nascentes naturais alimentam a represa do Batatã, que abastece aproximadamente quase 30% da cidade de São Luís.  No parque há ainda, ruínas do complexo fabril, que possui cerca de 1.600 m² de áreas com ruínas de curtumes, fornos, tanques e armazéns.

Caracteriza-se por um relevo plano e ambiente costeiros, influenciado pela dinâmica das marés, favorecendo o estabelecimento de ecossistemas como os manguezais. As áreas centrais do Parque do Bacanga apresentam pequenas colinas e vales.

# 8 Lagoa da Jansen
A Lagoa da Jansen é um ponto turístico dotado de atrações para todos os gostos e idades. Caminhar, praticar esportes, passear, bares, restaurantes.

# 9 Espigão Costeiro
Localizado na península da Ponta da D’areia num dos melhores locais para se apreciar o por do sol na ilha, vale a pena fazer uma caminhada curtindo as belezas do Oceano Atlântico.

[divider]■ PRAIAS[divider]

# 1 Praia do Araçagi
A praia fica no município de São José de Ribamar, a 19 quilômetros do Centro. Por ali, a beleza das dunas é superada pelos quiosques de comidas típicas que servem os frequentadores em barraquinhas individuais e acessíveis por carro os automóveis ficam estacionados na areia, ao lado da barraca exclusiva.

# 2 Praia do Meio
Com localização entre as praias do Olho D’Água e Araçagy, é muito frequentada, principalmente pelos adeptos de Jet-Ski. Possui várias casas de veraneio e bares.

# 3 Praia do Olho DÁgua
O visual é rústico, formado por dunas, morros e falésias; mas Olho DÀgua é urbanizada, cheia de quiosques e bastante movimentada. Os ventos fortes que sopram por ali entre os meses de julho e dezembro atraem os praticantes de esportes à vela.

# 4 Praia da Guia
Fica do lado oeste da ilha, a 13km de São Luís. Composta de dunas, vegetação rasteira e recifes, com vista panorâmica do centro.

# 5 Praia do Caolho
Localizada entre as praias do Calhau e Olho DÀgua, no final da Avenida Litorânea. É bastante procurada para acampamentos

# 6 Praia do Calhau
A praia de águas calmas, dunas e vegetação rasteira acompanha toda a extensão da Avenida Litorânea. O movimento é grande nos finais de semana, tanto de banhistas quanto de adeptos de atividades esportivas, como corrida e ciclismo. O charme fica por conta dos quiosques padronizados e dos restaurantes sobre palafitas.

# 7 Praia da Ponta da Areia
Localizada ao norte da Ilha e considerada imprópria para banho, é a praia mais frequentada por ser próxima ao centro da cidade, com melhor acesso rodoviário. Possui areia amarelada e batida e tem ondas fracas. A praia apresenta várias opções de bares, restaurantes e hotéis, além de abrigar o Iate Clube e o Forte de Santo Antônio.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
 Para quem segue da região Sudeste, acesso pela BR-135, liga o meio norte do Brasil (Maranhão) e termina em Belo Horizonte (Minas Gerais) .

De Ônibus:
Terminal Rodoviário de São Luís
Endereço: Av. dos Franceses, s/n – São Cristovão. São Luís-MA
Fone: (98) 3249 0778 / 4500

De Avião:
Aeroporto Internacional de São Luís – Marechal Cunha Machado
Av. dos Libaneses, 3503 – Tirirical
São Luís – MA
65056-480

De Navio:
Terminal Hidroviário da Praia Grande
Rampa Campos Melo, s/n – Cais da Praia Grande, São Luís – Maranhão.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Barreirinhas

A cidade de Barreirinhas fica no estado do Maranhão, local onde fica a sede do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, que concentram lagoas, dunas e manguezais que formam uma paisagem única no Mundo.

A cidade foi fundada na margem do rio Preguiças, possuindo cerca de 51.000  habitantes.

Os povoados de Caburé, Atins e Mandacaru são pontos de visita obrigatórios. Aproveite a cultura regional em sua culinária rústica e saborosa ou em seu artesanato de palha de buriti.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Lençóis Maranhenses
Nos Lençóis Maranhenses fica o maior conjunto de dunas do Brasil e representam dois terços da área total do parque.

# 2 Igreja Matriz de Barreirinhas
A Igreja Católica Matriz de Barreirinhas, é data do século XVIII é uma das mais antigas do Estado do Maranhão. Inaugurada em 08 de dezembro de 1948 passando no decorrer dos anos por várias reformas. Seu interior abriga uma pintura a óleo “O Batismo” datada de 1922, retratando o batismo de Jesus, em tamanho natural, da artista plástica Ruth Machado da Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro – filha do Estadista Maranhense Francisco da Cunha Machado.

A imagem da Padroeira da cidade, Nossa Senhora da Conceição, talhada em madeira de lei (jacarandá), por artista desconhecido, e procedente de Portugal no início de século XIX. O sino, que pertenceu a Fazenda Santa Cruz, foi fundido em Braga (Portugal).

# 3 Praça do Trabalhador
Praça bem arborizada e conservada possui 12 bancos de madeira, 04 canteiros com grama e plantas, posto de táxi. Nesta praça concentram-se os Órgãos Administrativos Municipais.

# 4 Praça da Matriz
Praça ampla com uma área cercada de areia para lazer, 16 bancos de cimento, arborizada e possui canteiros com grama e flores. Na área central há um quiosque redondo.

# 5 Avenida Beira Rio
Localizado as margens do rio Preguiças, é o local de concentração dos bares e restaurantes da cidade. Aqui à noite ocorrem, em alguns bares, apresentações de música popular. Além disso, é possível sentar em seus bancos e apreciar a passagem indolente do Preguiças. Possui um porto para embarque e desembarque de carga e passageiros, quiosques de água de coco, sorveteria, lanchonetes, bares e restaurantes que funcionam diariamente.

# 6 Rio Preguiças
É a principal via fluvial do município de Barreirinhas e um dos principais pontos turísticos da localidade, meio de vida e subsistência da maioria da população, sendo via de acesso para muitos povoados e comunidades ribeirinhas. Uma das principais fontes de alimento e recursos hídricos, cerca a cidade de Barreirinhas, sendo admirado pelos visitantes e amado pela população local. O nome “preguiças” tem sua origem, segundo o relato dos moradores mais antigos, o fato da presença de muitos bichos preguiças que habitavam as matas das margens do rio há muitos anos atrás e por suas águas mansas e tranquilas correrem preguiçosamente ao sabor das correntes vazante e enchente. O Rio Preguiças nasce no povoado Barra da Campineira, no município de Anapurus e percorre mais de 120 km até desaguar no Oceano Atlântico em frente ao povoado de Atins.

# 7 Vassouras
Um conjunto de dunas que na época das chuvas possui algumas lagoas. Existe duas áreas de acesso a Vassouras, em ambas existe uma pequena estrutura de alimentação e artesanato, além da visita de alguns macacos que habitam a região que aparecem aos turistas.

# 8 Mandacaru
É uma vila de pescadores bela e bucólica, possui um farol de 54 metros de altura de onde se descortina dezenas de quilômetros de dunas, manguezais, palmeiras e cajueiros. O Farol das Preguiças (Conhecido como Farol de Mandacaru) foi construído em 1940, inaugurado em 1944 pelo então Almirante Morais Rego. São 160 degraus e uma vista panorâmica para Mandacaru, Atins, Caburé, Rio Preguiças, Lençóis Maranhenses e manguezais.

# 9 Praia de Caburé
Os primeiros moradores desta região foram os índios Caetés e Tapuios, depois chegaram os corsários europeus iniciando através da foz do rio Preguiças a colonização fluvial da área pelo homem branco. Geograficamente a Praia do Caburé fica localizada próxima à foz do Rio Preguiças, na estreita faixa de areia que separa o rio do mar. Sujeita à ação dos ventos fortes e a constante movimentação da areia a praia do Caburé vem sofrendo com uma intensa erosão marinha nos últimos anos, devido ao fato de sofrer a pressão das ondas do oceano Atlântico de frente, sem proteção de uma baia. O espaço compreendido entre o rio e o mar que já foi de aproximadamente 1.500 metros nos meados da década de 1980 diminuiu bastante, chegando hoje nas grandes marés a cotas inferiores a duzentos metros.

A região onde se encontra a praia do Caburé denominada de Pequenos Lençóis é composta pelas localidades de Moitas, Morro do Boi, Espadarte, Alazão, Vassouras e Caburé.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
O acesso a Barreirinhas é feito através da BR 135 até Bacabeira, segue-se pela BR 402 até Sobradinho, onde acessa a MA 225, no total são 253 km, em estrada pavimentada.

De Ônibus:
São aproximadamente 253km de São Luís à Barreirinhas, por via asfaltada, num trajeto de aproximadamente 4 horas. A empresa Cisne Branco faz a linha com saída da Rodoviária de São Luís.

De Avião:
Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado
Av. dos Libaneses s/nº São Cristóvão São Luís-MA
CEP: 65.055-710
PABX: (98) 3217-6100 / 3217-6105 / 3217-6101
Distância do Centro: 15 km

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

[divider]■ ARTIGOS RELACIONADOS / BARREIRINHAS[divider]

-> Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

São José do Barreiro

São José do Barreiro é um município no leste do estado de São Paulo e possui 4.208 habitantes. Está entre aquelas localidades que atraem por sua beleza natural composta por trilhas na mata, cachoeiras, áreas verdes, doces, comida caseira e a hospitalidade característica do interior paulista.

Em São José do Barreiro se abriram inúmeras fazendas para o plantio de café, o que trouxe grande desenvolvimento à cidade, cujas casas e sobrados são hoje marcos da época em que o Município ocupou lugar importante na cafeicultura paulista.

As cachoeiras de São José do Barreiro são muito famosas, a cidade possui a maior queda d’água do Estado, chamada de Cachoeira dos Veados, com 200 metros de altura.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Fazenda Pau D’Alho
Localizada a 3 km da cidade, a Fazenda Pau D’alho foi construída por volta de 1817 por João Ferreira de Souza, fundador de São José do Barreiro e que no ano de 1822 iniciava na fazenda o plantio de café. D. Pedro I, em viagem que antecedeu a independência do Brasil, chegou em 17 de agosto de 1822 na Fazenda Pau D’alho, onde foi recebido com um grande jantar.

A sede da fazenda é toda circundada por muros de pedra, possuindo à entrada um imponente portão e um renque de palmeiras imperiais, atestado de nobreza e opulência nas fazendas e engenhos do Brasil – Império. O pátio interno é cercado por senzalas, cavalariças, tulhas e outras dependências. O embasamento é de pedra e as paredes de pau-a-pique.

O conjunto arquitetônico da fazenda foi tombado pelo Patrimônio Nacional e Estadual em 1968; restaurado, hoje é um marco histórico que se destina a atividades culturais e ecológicas.

# 2 Centro Histórico
Casarões e solares em estilo colonial onde residiram famílias tradicionais da época. Destacam-se a Igreja Matriz de São José datada de 1881, onde se encontram os restos mortais dos fundadores da cidade e do Cônego Benedito Gomes França (Pe. França); Prédio da câmara Municipal, com quadros deixando à vista a parte interior das paredes (antiga cadeia), a Casa do artesão, etc.

# 3 Trilha do Ouro
Travessia da Serra da Bocaina e Serra do Mar, possui grande parte de seu leito coberto por pedras colocadas por escravos nos fins do séc. XVIII. Inicialmente usada apenas pelos Índios Guaianazes, posteriormente, pelo leito de pedras da Trilha do Ouro passaram as tropas carregadas com o ouro mineiro e com o café valeparaibano; hoje, apenas os “Mochileiros”, pessoas vindas das mais diversas partes do Brasil e do mundo é que se aventuram, atraídos pelas belezas da Mata Atlântica e pelas belíssimas cachoeiras, numa aventura de 3 dias em 98km de emoções e aventura, atravessando do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

# 4 Pico da Bacia
Pico Guardião da Cidade de São José do Barreiro, do alto dos 1950m do Pico da Bacia, temos uma vista belíssima dos Campos da Bocaina, da Represa do Funil, da cidade de São José do Barreiro, Resende, Itatiaia, Cruzeiro e muitas outras cidades plantadas nos Mares de Morros do Vale do Paraíba. O local é um verdadeiro show de visual de montanha que aos poucos vai se descortinando no decorrer da caminhada – 1 dia.

# 5 Rampa de Voo Livre
Visual magnífico, a 1.700 m de altitude. Mirante natural com vista belíssima da Represa do Funil, das cidades de Resende, Itatiaia, Cruzeiro e muitas outras. O pôr-do-sol é uma atração à parte, com a Serra da Mantiqueira à frente. Ideal para prática de Voo Livre Para-glider.

#  6 Pico do Tira Chapéu
Ponto culminante da Serra da Bocaina, no alto do Pico do Tira Chapéu a 2088m de altitude, em dias claros podemos ver todo o Vale do Paraíba, Bacia de Paraty e Serra da Mantiqueira. A caminhada da base ao topo do Pico do Tira Chapéu exige preparo e determinação dos participantes para cobrirem os 6km (ida) da trilha que leva a um dos lugares mais bonitos e famosos da região.

É recomendável ir com um Guia local, pois é freqüente a ocorrência de cerração que obstrui a visibilidade, mesmo em dias de céu claro pela manhã.

# 7 Fazenda São Francisco
Construção de 1813. Decorações da época apresentam móveis do século XVIII em sua maioria franceses. Pequeno museu e senzala. Tem aos fundos a Represa do Funil com opções de esportes náuticos ou pesca.

[divider]■ CACHOEIRAS[divider]

# 1 Represa do Funil
Formando imenso lago, é concorrida área de lazer para pescaria, com ocorrência de tilápias, tucunarés, Lambaris, entre outros, natação e esportes náuticos como ski, jet-ski, passeios de lancha, caiaque, etc. Permitindo ainda o acesso à Resende, até o Clube Náutico. A represa fica a 6 km do centro de São José do Barreiro.

# 2 Cachoeira da Mata
Piscina natural, muito procurada pelos turistas. Fica ao pé da Serra de Formoso, no meio de uma mata, pegando sol diretamente somente no meio do dia. Acesso pela estrada da Fazenda da Barra, a 5,6 km do centro de Formoso.

# 3 Cachoeira do Veadocachoeiradoveado
Sendo a maior do Estado de São Paulo com 200 metros em três quedas, fica na trilha do Ouro, dentro do Parque Nacional da Serra da Bocaina, a 35km da entrada; é necessário autorização especial antecipada do parque para visitá-la e estar preparado para a caminhada que leva dois dias. É recomendável a contratação de guia local

# 4 Balneário Água Santa
Balneário natural. Distante 1.5 km da cidade, ponto predileto para banhos de sol, sobre as pedras, e natação nas águas cristalinas do rio Barreiro. Fácil acesso para automóveis.

Cachoeira Santo Isidrocachoeirasantoisidro
Com 80 metros de queda, termina em uma imensa piscina natural em forma de lago, com água gelada e cristalina. A Cachoeira de Santo Isidro localiza-se a 29 km da cidade e a 1,5 km da entrada do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

# 5 Cachoeira das Possescachoeiradaposses
Tem uma queda de aproximadamente 40m de altura. As ruínas presentes na trilha que leva à cachoeira são um registro histórico da antiga fazenda responsável pela plantação e extração de pinus, cedrinho português e eucalipto.

# 6 Cachoeira do Paredão
Uma série de quedas pequenas com direito a piscina natural de água congelante! Em meio a araucárias e outras espécies em um local maravilhoso e tranquilo, trilha fácil. Fica a 2 km antes da entrada do Parque nacional da Serra da Bocaina.

# 7 Parque Nacional da Serra da Bocaina
O parque foi criado no ano de 1971 e preserva uma extensa área da importante Mata Atlântica e ecossistemas Costeiros na região, com aprox. 110.000 hectares, dos quais 35.000 estão em Paraty. Abrange toda a Serra do Mar entre Paraty e Angra dos Reis, estendendo-se a oeste até São José do Barreiro. Ao sul faz divisa com o Parque Estadual da Serra do Mar, na cidade de Ubatuba.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Quem vem do Rio de Janeiro deve seguir pela rodovia Presidente Dutra até Barra Mansa, entrando na RJ-157 em direção a Bananal.

A partir de São Paulo, segue-se pela rodovia Presidente Dutra, entrando em Silveiras ou Queluz (caminho mais rápido). Ambas as estradas conduzem a Areias e São José do Barreiro.

A partir de Belo Horizonte, segue-se pela BR 381, depois pela BR 267 até Caxambu e daí pela BR 354 até a rodovia Presidente Dutra. Na Dutra, toma-se o sentido São Paulo, até chegar a Queluz. Em Queluz segue-se em direção a Areias.

De Ônibus:
São Paulo e Guaratinguetá (viações Cometa e Pássaro Marron, partidas de hora em hora), por meio das quais o visitante pode pegar o ônibus até São José do Barreiro, também em linha regulares (Pássaro Marron, linha Guaratinguetá – Bananal, três partidas diárias).

Para quem sai do Rio de Janeiro, as empresas Cidade do Aço e viação Sampaio têm linhas regulares para Resende (terminal Graal). Ali, o visitante deve tomar um táxi ou coletivo para a rodoviária central e pegar o ônibus da viação Penedo para São José do Barreiro (duas partidas diárias). Outra opção é descer em Barra Mansa, pegar um ônibus até Bananal (Colitur, várias partidas diárias), onde há linhas regulares para São José do Barreiro (Pássaro Marron, linha Bananal – Guaratinguetá, três partidas diárias).

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Paranapiacaba

Paranapiacaba é uma bucólica vila em estilo Inglês, a apenas 44 km da capital São Paulo. A Vila de Paranapiacaba está inserida em um vale montanhoso na região da “Serra do Mar” no município de Santo André.

Construída no ano de 1860, pela extinta companhia ferroviária “São Paulo Railway”, com ruas cuidadosamente planejadas a vila possui casas feitas em madeira de pinho e estilo inglês. As estações e maquinários em exposição são verdadeiras aulas de história e cultura da construção ferroviária do Brasil.

No centro do distrito ainda existe o antigo relógio que controlava o ritmo das atividades dos operários que construíram a estrada e a estação ferroviária está em pleno funcionamento.

Paranapiacaba é cercado pela exuberância da Mata Atlântica, onde o turista pode desfrutar de passeios pelas trilhas, cachoeiras e piscinas naturais existentes na região. A Igreja de Bom Jesus de Paranapiacaba e os museus Funicular e Castelinho, onde está o carro de D. Pedro II, são alguns lugares que devem ser visitados.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Museu Funicular do Tremmuseufuniculardotrem
Os galpões que abrigaram o maior sistema funicular do mundo, ainda em seu lugar original, compõem hoje o Museu Funicular de Paranapiacaba. As peças estão todas em exposição para mostrar como era feito o trabalho das maquinarias: a roda de inércia movida a vapor, os cabos de aço e um veículo serra-breque. Um passeio por este museu vai revelar muito da história ferroviária do lugar e também de seus primeiros moradores.

# 2 Museu do Castelinhomuseudocastelinho
Construído em 1897 para ser a residência do superintendente inglês durante a construção da estrada férrea, o Castelinho fica no alto de uma colina. Sua localização foi estratégica, pois de lá era possível avistar todas as ruas do distrito e todas as atividades desenvolvidas. Atualmente o lugar abriga o Centro de Preservação da Memória de Paranapiacaba. Ali estão reunidos objetos e instrumentos de trabalho da época dos ingleses.

Passarela Metálica
A passarela metálica foi construída em 1899 sobre o corredor ferroviário, onde se localizavam a estação, o pátio e todos os equipamentos, para ligar os dois núcleos da vila.

# 3 Clube União Lyra Serranoclubeuniaolyraserrano
Sede das principais atividades culturais de Paranapiacaba, como o badalado Festival de Inverno. Foi uma das últimas construções inglesas na Vila de Paranapiacaba, por volta de 1936 e chama a atenção por sua beleza. O Serrano é formado por um prédio com hall, salão de jogos, sala de troféus, salão de baile e cinema, além do complexo esportivo externo com campo de futebol.

# 4 Igreja Bom Jesus de Paranapiacabaigrejadebomjesus
Construída em 1887 para atender aos funcionários católicos da ferrovia, era o palco das missas e da tradicional Festa do Padroeiro, a festa mais antiga de Santo André e que acontece até hoje.

# 5 Feira de Artesanato do Parque Andreense
Feira realizada aos domingos para comercialização de artesanato, flores e alimentos produzidos pelos moradores locais no Pátio do Posto Rodoviário do Parque Andreense.

# 6 Parque Natural Municipal Nascente de Paranapiacaba
Área que contorna a vila de Paranapiacaba foi transformada na unidade de conservação municipal. As belas trilhas do Olho D Água, o tanque do Gustavo, a Pontinha, a Água Fria e a Comunidade são lugares belíssimos que devem ser visitados com acompanhamento de monitor ambiental. São 4 milhões de metros quadrados de Mata Atlântica protegidas.

# 7 Reserva Biológica de Paranapiacaba
A Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba, em seus 336 hectares onde predomina relevo montanhoso, pelos seus vales e baixadas correm vários córregos que contribuem para a formação de rios maiores, como o Rio Grande. A vegetação da reserva, composta por florestas e campos nativos entremeados por manchas esparsas de matas mais baixas, é predominantemente secundária.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Saindo de São Paulo o percurso para Paranapiacaba deve ser feito pela Via Anchieta até o Km 29, em Ribeirão Pires, entrar na SP-148, antiga Estrada Velha de Santos e continuar até o Km 33. Acessar a Rodovia Índio Tibiriçá ou SP-31 até o Km 45,5 e em seguida entrar na SP-122 até Paranapiacaba.

De Ônibus:
Os ônibus para Paranapiacaba saem do Terminal Urbano Prefeito Saladino, ao lado da Estação Prefeito Saladino de trem. A Viação Ribeirão Pires, faz o trajeto SANTO ANDRE X PARANAPIACABA na linha nº 040.

De Trem:
A Linha 10–Turquesa da CPTM, compreende o trecho da rede metropolitana entre definida entre as estações Brás X Rio Grande da Serra. As estações Campo Grande e Paranapiacaba estão desativadas.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Ilha Comprida

Aline Barros – Reporter do site Brasil Turismo
*Repórter viajou ao destino a convite da APRECESP – Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo

lha Comprida, é um santuário ecológico para os amantes da Natureza e está localizada no litoral sul de São Paulo, é composta por uma grande diversidade de ecossistemas e encanta por suas belezas naturais. Além de ser uma Área de Proteção Ambiental (APA).

Ilha Comprida não recebeu esse nome à toa, com 74 km de praias ininterruptas, fica fácil de garantir um bom lugar na ampla faixa de areia. Por falta de estradas em alguns trechos devido a conservação ambiental, o trajeto é feito de carro. Portanto é aconselhável sempre antes de cruzar o Estuário, verificar a maré junto ao Corpo de Bombeiros para não ser pego de surpresa.

Deve salientar que a área turística ainda há muito para crescer, mas não faltam grande esforços da Prefeitura em conjunto com profissionais habilitados e experientes trabalhando no desenvolvimento dessa infraestrutura. Ademais, o município não só oferece inúmeras atividades ligadas à natureza como também uma intensa programação cultural e eventos durante o ano todo.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

Observação de aves ‘Birdwatching’praiaarvoreave
Para os apreciadores de uma boa caminhada, há inúmeras trilhas que percorrem cenários deslumbrantes de vegetação intocada, onde é possível se deparar com uma farta variedade de aves que habitam ou migram para a região, entre elas o gavião carcará e a coruja buraqueira.

Ponta da Praia
O Turismo de observação de aves, ‘birdwatching’, vem ganhando no Brasil cada vez mais adeptos, e não há outra lugar mais afortunado para o estudo e observação de aves como a Ilha Comprida. Não deixe de conhecer as trilhas das Dunas de Juruvaúva e do Araça, que se estendem ao longo da orla e proporcionam uma vista deslumbrante da praia.

Que tal aprender um novo esporte enquanto aprecia a belíssima paisagem local?
A beleza do Mar Pequeno atrai cada vez mais aficionados de esportes náuticos. O cenário é ideal para a prática de SUP e canoagem devido a suas águas calmas. Você pode se arriscar a pegar umas ondas ou praticar o esporte que já virou uma febre no Brasil, o SUP, com a devida supervisão do Profº de Educação Física e Surfista Profissional, Maurício Pelé, que ministra aulas de Surf e Stand Up Paddle, além de aluguel dos equipamentos.

O ciclismo a beira da areia, é uma excelente alternativa caso se pegar onda não seja a sua “praia” e é uma prática bastante comum na região já que Ilha Comprida com suas praias quilométricas, torna-se o local ideal para o esporte.

O que não falta são opções de roteiros para você escolher e aventurar-se. Caso não seja do tipo aventureiro e procura algo mais calmo para o lazer, visitar as tranquilas vilas caiçaras e seus simpáticos moradores é como voltar ao tempo e conhecer a história local.

Na vila de pescadores, além de conhecer melhor a vida simples dos moradores e suas tradiçoes, é possível passear de barco e avistar golfinhos ao longo do passeio ou alugar equipamentos para a pesca amadora. As vilas mais conhecidas são Pedrinhas (conhecida pela típica cachaça com cataia), Juruvaúva (especializada na produção de ostras in-natura), Boqueirão Sul, Pontal da Trincheira entre outras.

A estância balneária ainda conta com uma agenda de eventos agitada, com shows, mostras de cinema, teatros de rua, e exposições durante o ano todo.

A Ilha ferve com o maior festival de verão do litoral de São Paulo, o Ilha Verão, na praia do Boqueirão Norte, durante os meses de Janeiro e Feveiro. Em Julho acontece dois grandes festivais importantes para a região, a Ilha Julina e o tradicional Festival Internacional de Blues, no Iate Park Hotel, localizado na região do Lagamar com entrada franca e conta com a presença dos maiores nomes nacionais e internacionas do Blues.

Espaço Cultural Plínio Marcos
No Espaço Cultural Plínio Marcos, o visitante tem a oportunidade de conhecer a rica cultura caiçara através da exposição permanente de objetos e artesanatos representativos para a cultura da região.

[divider]
■ GASTRONOMIA[divider]

Um município privilegiado por suas belezas naturais e a pesca como uma das rendas principais, não haveria dúvidas sobre a alta qualidade oferecida de seus frutos do mar.

Nos restaurantes, quiosques e vilas é possível comer muito bem e tudo bem fresquinho. Afinal, as ostras e siris são cultivados na própria ilha e famosos por sua qualidade.

Iate Park Hotel
Ambiente familiar e com pratos variados e generosos, podendo servir até 3 pessoas.
Pratos á La Carte, carnes, Peixes, frutos do mar e Pizzas.

Site: www.iateparkhotel.com.br
Telefone: (13) 3842-1000 / (13) 99643-9998

Espaço Natural
Com uma atmosfera agradável e bem praiana, é uma ótima pedida para refeições e lanches saudáveis e leves. Os bolos integrais são deliciosos e feitos no próprio local.

Informações por E-mail: espaconaturalic@yahoo.com.br
Telefone: (13) 8139-8322 / (13) 9792-3064

Tribo’s Bar – Bar e Camping
Fica localizado na badalada praia do Boqueirão Sul. Oferece um ótimo ambiente e atendimento.

Petiscos e refeições de frutos do mar muito bem servidos e caprichados com excelente qualidade.

Palácio dos Sabores
Restaurante com comida caseira com preço justo localizado centro da cidade na Av. Copacabana nº 291
Telefone: (13) 3842-3488

Sistema Self Service – À la Carte
Além de lanches, salgados, doces e café expresso.

[divider]
■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Por São Paulo (SP)
Via Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) até o trevo de Iguape, seguindo pela Rodovia Casimiro Teixeira SP-222.
Acesso Iguape-Ilha via Ponte prefeito Laércio Ribeiro.

De Ônibus:
Viação Intersul
Telefone (13) 3841-1209/3821-2195

As saídas acontecem no Terminal Rodoviário da Barra Funda, em São Paulo com duração de viagem aproximadamente de 4hs.

De São Paulo a Ilha Comprida
Horários: 5:30, 10:00, 15:00 e 20:00

De Ilha Comprida a São Paulo
Horários: 5:30, 9:45, 15:00 e 19:45

[divider]
■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Ilhabela

Ilhabela, conhecida como Capital da Vela e maior ilha marítima brasileira, é um paraíso para os apaixonados por esportes náuticos. Com ventos propícios para o esporte e praias de tirar o fôlego, localizada no litoral norte de São Paulo, é palco anualmente do principal evento náutico da América Latina, a Semana Internacional da Vela de Ilhabela, que acontece sempre no mês de julho.

A prática de esportes marítimos, principalmente do Kitesurf e windsurf já é algo natural para as pessoas que nascem na ilha, com o “sal do mar” em suas veias.

Mas para você que sempre quis se aventurar a entrar na água, há inúmeras escolas para a prática de vela, kitesurf, canoagem, mergulho entre vários outros e a possibilidade de alugar equipamentos. Qualquer que for o seu estilo, aqui você encontrará um esporte para não ficar parado durante a sua estadia na Ilha.

É só entrar na água e sentir o vento batendo no rosto enquanto enquanto contempla a beleza natural da ilha.

Com 85% do seu território estão protegidos por um parque estadual de 27.025 hectares, tornando-se uma das mais preservadas áreas de Mata Atlântica do Brasil. Todo esse patrimônio está praticamente intacto e localizado entre os dois maiores centros urbanos do país, São Paulo e Rio de Janeiro.

A ilha tem mais de 40 praias, as voltadas para o canal de São Sebastião, têm águas mais calmas, enquanto as oceânicas apresentam muita correnteza. Caso a água salgada não seja a sua “praia”, o arquipélago é privilegiado com mais de 300 cachoeiras para você se aventurar nas trilhas, fazer rapel ou simplesmente se banhar e “limpar a alma” nas suas piscinas naturais e lindíssimas quedas d’águas.

[divider]■ HOTÉIS & POUSADAS[divider]

N/D

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda e Bom Sucesso

A história aponta que a maior parte das vilas surgiu a partir da construção de uma capela. E com Ilhabela não foi diferente. As origens da Igreja Matriz de Nossa Senhora DAjuda e Bom Sucesso remetem ao fim do século XVI e início do XVII. Os registros afirmam que a construção aconteceu a pedido do padre Manuel Gomes Pereira Marzagão, conhecido também como vigário São Sebastião. Ao longo dos anos, a igreja passou por várias reformas e ampliações.

Atualmente, a Matriz conta com piso de mármore espanhol, forro da nave (parte entre as colunas sustentadoras da abóbada) pintado a óleo, reproduzindo a imagem da padroeira. No centro, as imagens de São Sebastião, São Benedito, São Paulo e São Judas.

Museu Náutico Ilhabela

Para aqueles que apreciam uma boa lenda sobre piratas e histórias de naufrágios, o Museu Náutico é uma excelente pedida de passeio. Fundado em 2010 e com um grande acervo de 1500 peças de vários navios naufragados, muitos destes datados do século XVIII e também maquetes dos principais naufrágios em exposição.

Ilhabela é um verdadeiro cemitério submerso com mais de 10 grandes naufrágios ocorridos no arquipélago, sendo o mais famoso deles, o espanhol Príncipe das Astúrias, que em 1916 afundou com a maior parte de seus tripulantes e tesouros a bordo perto da ilha de São Sebastião.

Site: www.museunauticoilhabela.com.br

Fazenda da Toca
Caso a água salgada não seja a sua “praia”, o arquipélago é privilegiado com mais de 300 cachoeiras para você se aventurar nas trilhas, fazer rapel ou simplesmente se banhar e “limpar a alma” nas suas piscinas naturais e lindíssimas quedas d’águas. Uma cachoeira bastante conhecida da região é a Cachoeira da Toca fica localizada em um antigo engenho de cana de açúcar, onde ainda é fabricada uma cachaça artesanal para degustação. A caminho de Castelhanos, possui um emocionante tobogã de água natural e uma queda d’água de 3 metros de altura.

Site: www.cachoeiradatoca.com.br

Passeio de Escunapasseioescuna
Um ótima opção de passeio para você e sua família, é o passeio à bordo da Escuna Da Vinci, da empresa Maremar Turismo. Com total segurança e infra-estrutura, com saídas diárias no píer da Praia do Perequê. Com duração de 6 horas, terá a oportunidade de conhecer várias praias exuberantes ao norte da ilha ao longo do trajeto além das paradas na Praia da Fome e Jabaquara, esta que é considerada uma das praias mais belas e preservadas da ilha.

A Maremar oferece também outros passeios como de jeep, lancha, city tour além de disponibilizar aluguel de bicicletas.

Se o seu objetivo não é só ficar parado tomando sol em uma das lindas praias com águas cristalinas , a Maremar oferece um roteiro cheio de aventuras para você conhecer a Ilha e tudo que ela pode oferecer de um jeito bem mais emocionante e com qualidade para seus clientes.

Site: www.maremar.tur.br

[divider]■ GASTRONOMIA[divider]

Restaurante Gato Negrorestaurantegatonegro
Fica localizado na Pousada Praia do Portinho e com um menu diversificado atende todos os gostos desde peixes, frutos do mar, massas à pratos tradicionais como filé à parmegiana. Mas a jóia da casa fica com sua deliciosa e bem servida feijoada que já é conhecida na Ilha.

Aproveite para experimentar o bolinho de feijoada, um petisco excepcional que você só encontra aqui. Uma ótima opção para acompanhar aquela cervejinha.

Site: www.pousadapraiadoportinho.com.br/pt/restaurante.html

 

Restaurante Tróiatroia_2
Pratos que não só chamam a atenção dos olhos mas também ao paladar. Esse charmoso restaurante instalado no DPNY Beach Hotel localizado na Praia do Curral oferece gastronomia internacional com pratos inovadores e com ingredientes tradicionais da cozinha brasileira, uma fusão de sabores da cozinha mediterrânea e italiana para seus hóspedes e visitantes desfrutarem em um ambiente envolvente ao som do mar.

Site: www.dpny.com.br/br/o-dpny/gastronomia

 

All Mirante Bar & Restauranteallmirante
Localizado no Sul da Ilha, com uma vista espetacular para o mar que não dá nem vontade de ir embora e uma decoração encantadora, esse restaurante serve pratos saborosos dos mais variados da culinária local e também massas, aves e carnes no sistema buffet e à la carte.

Recomenda-se ligar com antecedência e verificar se o restaurante estará aberto ao público pois o local também é utilizado para festas e casamentos podendo estar fechando nessas datas.

Site: www.allmiranteilhabela.com.br

 

Restaurante Pedra do Sinorestaurantepedradosino
Nada como aproveitar um dia gostoso e de sol a beira da praia da Pedra do Sino e ainda contar com os serviços do Restaurante que leva o mesmo nome, cuja especialidade são frutos do mar.

Enquanto contempla a vista fantástica para o mar, o cliente tem diversas opções de refeições como porções muito bem servidas e pescados fresquinhos, além do tradicional e sempre uma excelente pedida: o filézinho de peixe ou frango com arroz, feijão, fritas e salada.

Site: www.restaurantepedradosino.com.br

[divider]■ PRAIAS[divider]

Praia do Perequê

Praia próxima ao comércio e com extensa faixa de areia repleta de coqueiros em sua orla. Possui bares e restaurantes, enquanto suas águas calmas são ideais para a prática do Kite Surf.

Praia da Garapocaia ou Pedra do Sino

Praia com águas calmas, com faixa de areia curta e grossa. A praia de Garapocaia também é conhecida como praia da Pedra do Sino, onde no final da praia encontra-se formações rochosas que ao serem batidas emitem sons curiosos. No local possui serviços com bares e restaurantes.

Praia da Armação
Acesso para a praia por uma pequena trilha. É uma praia que não é vista da avenida. Localizada ao lado do farol da Ponta das Canas, muito frequentada por iatistas, velejadores e praticantes de kitesurf.

Cortada por dois riachos, é uma das praias mais movimentadas por quem curte esportes náuticos, sem deixar de lado a sombra dos coqueiros e chapéus-de-sol que fazem parte deste cenário único.

Praia da Caveira
É uma praia deserta, com aproximadamente 50 m de extensão. Excelente para mergulho e pesca, devido à clareza de suas águas. Localizada no lado leste da Ilha, o acesso é por mar ou trilha a partir da praia da serraria.

A praia ficou conhecida devido ao naufrágio do transatlântico espanhol “Príncipe das Astúrias”, em 1916, motivo de várias lendas caiçaras.

Praia da Feiticeira
As cores das velas do kitesurf contrastam com a fachada do antigo engenho de cana-de-açúcar da Fazenda São Mathias. Vale a pena encontrar o caminho que leva você a esta praia. Ao chegar, um pequeno riacho banha seus pés. A praia é rodeada por coqueiros e chapéus de sol que completam o visual místico e paradisíaco.

Praia da Fome

Com 150 metros de extensão, tem acesso por trilha ou mar, cortada por dois riachos, é ideal para a prática de esportes náuticos e mergulho. Antigamente era principal ponto de tráfico de escravos, no local em que as ruínas de uma senzala se transformou em casa de veraneio. O nome “Praia da Fome” vem da história que ali os escravos eram alimentados depois de longa e precária viagem da África para depois serem vendidos conforme seu peso.

Praia da Serraria
Praia com 100 m de extensão, podendo ser acessada por mar ou trilha de alto grau de dificuldade partindo da praia do Jabaquara. Visitada principalmente por mergulhadores. Em frente à praia está a Ilha da Serraria, local propício para a prática da pesca esportiva e mergulho. a praia da serraria é considerada um abrigo natural nos dias de mar agitado.

Praia da Vila
No centro histórico de Ilhabela, mais frequentada em dias de maré baixa, quando aparecem as pedras junto aos coqueiros, criando um visual artístico, onde todos os elementos fazem parte desta obra-prima que é um local especial da Ilha. Um ótimo píer para se pescar e curtir o pôr-do-sol. Ao lado do píer realizam-se shows, concertos e exibições durante o ano inteiro.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Para quem vem de São Paulo, seguir pela Rodovia Ayrton Senna até a Rodovia Carvalho Pinto. Após o pedágio e o posto policial, pegar saída para Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba. Chegando em Caraguatatuba, seguir em direção a São Sebastião, de onde partem as balsas para Ilhabela

Para quem vem do Rio de Janeiro, seguir pela Rodovia Rio-Santos, cruzando as cidades de Mangaratiba, Angra dos Reis, Parati e Ubatuba. Chegando em Caraguatatuba, seguir em direção a São Sebastião, de onde partem as balsas para Ilhabela

*As balsas operam 24 horas por dia e atravessam o canal com intervalo de 30 minutos e o tempo de travessia é de 15 minutos pela DERSA (11-3702-8000) ou http://www.dersa.sp.gov.br/

De Ônibus:
De Teresópolis:
Ônibus Viação águia Branca e Salutaris com destino a Rodoviária do Tiête em São Paulo.
Com saídas diárias às 22h.

Já na Rodoviária do Tiête, a Viação Litorânea realiza o transporte até São Sebastião com saídas diárias em diferentes horários.

Do Rio de Janeiro:
A Empresa UTIL leva até a cidade de São Sebastião com duração de 7hs de viagem.

Telefones:
Viação Águia Branca e Salutaris – SAC: 0800 725 1211
Viação Litorânea – SAC: (11) 3775 3850
Empresa UTIL – SAC: 0800 886 1000

Para chegar em Ilhabela, o acesso é feito somente pela balsa que parte do centro de São Sebastião.
A travessia de quase 3km para pedestres e automóveis entre São Sebastião e Ilhabela dura cerca de 20 minutos.
Porém em feriados e finais de semana, a fila para pegar a balsa pode chegar a ser quilométrica e para evitar esse incômodo, há a possibilidade de comprar um tíquete antecipado com horário marcado mas por uma taxa maior para a travessia no site da Dersa e assim, ter mais comodidade em sua viagem.

Programação da Balsa
São Sebastião <-> Ilhabela

Horários
De 6h às 0h – a cada 30 min.
De 0h às 6h – a cada 1 hora

Preços
Segunda a sexta-feira:
Moto – R$ 7,10
Carro e Camionete – R$ 14,10
Sábado, domingo e feriados
Moto – R$ 10,60
Carro e Camionete – R$ 21,20

Mais informações pelos telefones ou pelo site:
http://www.dersa.sp.gov.br/
Travessias
Tel: 0800 77 33 711

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Rio das Ostras

Rio das Ostras é um dos destinos praianos mais procurados pelos cariocas nas férias de verão. O município está localizado na região da “Costa do Sol”, no estado do Rio de Janeiro e distante cerca de 170 Km de distância da capital. Seu litoral com cerca de 28 Km e 15 praias,que desenham sua costa são os atrativos mais procurados pelos turistas e seus moradores.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

# 1 Praça da Baleia
Esta área de lazer e contemplação abriga a escultura de uma Baleia Jubarte com 20 metros de comprimento de estrutura metálica, recoberta com chapas de bronze e liga de latão. É de autoria do artista plástico, Roberto Sá, conhecido internacionalmente pelas por suas esculturas hiper-realistas. Esta é a maior homenagem a um cetáceo no mundo.

# 2 Pier de Costazul
Uma das atrações da orla de Rio das Ostras é o Pier Costazul, de onde se pode admirar o nascer do sol e a praia de Costazul. É parada obrigatória para quem quer fotografar as belezas naturais da cidade, pois avança 200 metros para dentro do mar. Também é ponto de pesca de caniço. A Costazul tem área de lazer com ciclovia, academia de ginástica ao ar livre, quiosques, playgrounds e 15 mil m² de restinga preservada.

# 3 Lagoa de Iriri (Coca cola)
A lagoa possui esse apelido devido a cor de sua água marrom escuro, lugar ideal para pessoas com crianças, possui alguns quiosques.

# 4 Museu do Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba
A área onde hoje se encontra o museu foi encontrada por acaso: a Fundação Rio das Ostras de Cultura pretendia montar um teatro nos fundos de sua sede. No meio das escavações, que aconteceram em 1995, foram encontrados artefatos materiais. Depois de realizados testes com Carbono 14, descobriu-se que aquelas peças datavam de entre 2.500 a 4.000 anos atrás, sendo importantes vestígios arqueológicos da população primitiva da região de Rio das Ostras.

Com exposição de ossadas e outros materiais escavados (ostras, conchas, pedras, entre outros), o Museu mantém acervo de vestígios da cultura sambaquieira e continua sendo espaço de pesquisas de campo.

# 5 Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
A igreja foi erguida por escravos negros e índios, após a expulsão dos jesuítas, em 1759. Sua construção foi  terminada no final do século XVIII, pelos Beneditinos e Carmelitas. A antiga igreja desmoronou na década de 50 e, em ruínas, foi reconstruída em 1959. Nossa Senhora da Conceição foi escolhida como padroeira da cidade.

[divider]■ PRAIAS[divider]

# 1 Praia do Abricó
Primeira praia de Rio das Ostras a partir do município do Rio de Janeiro. Paisagem fascinante e muita tranqüilidade.

# 2 Praia da Tartaruga
Localizada em uma pequena enseada, situada entre as praias do Abricó e Praia do Bosque, recebe este nome pela incidência de tartarugas no local.

# 3 Praia do Bosque
Situada entre as praias das Tartarugas e do Centro, destacam-se frondosas árvores que lembram um bosque, razão do nome. Tem profundidade ideal para banho e grande faixa de areia que propicia a prática de esportes, como vôlei de praia.

# 4 Praia do Centro
Ideal para quem quer aproveitar uma praia tranquila, mas não abre mão da infra-estrutura e do conforto dos bares, restaurantes e quiosques.

# 5 Praia do Cemitério
Praia de enseada perfeita para banho, pertinho do Centro da cidade. Local onde os pequenos barcos de pesca e redes compõem a paisagem. É de lá se você pode ter a melhor vista do pôr-do-sol de Rio das Ostras.

# 6 Praia da Boca da Barra
Praia da foz do rio das Ostras, onde as águas se encontram num espetáculo diferente. Própria para crianças. Conta com infra-estrutura de quiosques e restaurantes e passou por um processo de revitalização.

# 7 Praia da Joana
Pequena praia que compõe o Monumento Natural dos Costões Rochosos, área de preservação ambiental de rara beleza.

# 8 Praia Virgem
Um lugar perfeito para curtir a natureza em toda sua plenitude, longe do agito do Centro da cidade. Propícia para prática de pesca, tanto de linha, como de mergulho.

# 9 Praia das Areias Negras
Praia em forma de ferradura. O nome é devido à coloração mais escura da areia, com grande quantidade de monazita. Conta com pequenas piscinas naturais, próprias para o banho.

# 10 Praia do Remanso
Próxima à Praça da Baleia, é uma praia de enseada formada por rochedos. Conta com infra-estrutura e é freqüentada por famílias com crianças.

# 11 Praia da Costazul
Com 2,3 Km, é uma praia oceânica, point de surfistas, bodyboarders e amantes da pesca de caniço. A Costazul tem área de lazer com ciclovia, academia de ginástica ao ar livre, quiosques, playgrounds e 15 mil m² de restinga preservada.

# 12 Praia Enseada das Gaivotas
Uma das praias mais tranquilas de Rio das Ostras. Sua larga extensão de areia é própria a caminhadas à beira-mar.

# 13 Praia de Itapebussus
Um lugar perfeito para curtir a natureza, longe do agito do Centro da cidade. Propícia para prática de pesca, tanto de linha, como de mergulho.

# 14 Praia do Mar do Norte
Praia mais próxima a Macaé, conhecida por seus rochedos e pela vegetação de restinga preservada.

# 15 Praia das Pedrinhas
Uma das mais belas praias da cidade, perfeita para curtir um dia tranquilo, longe da agitação do centro.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
Da capital Rio a distância são de 170 Km, pode-se chegar através da Ponte Rio-Niterói, indo por Manilha, até o trevo de RioBonito. Pegar a Via Lagos ou seguir pela BR-101, em direção a Campos, e entrar no Trevo de Rio Dourado, seguindo pela RJ-162 (Serramar) até a RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto).

De Ônibus:
Do Terminal Rodoviario Novo Rio na cidade do Rio de Janeiro, guichê da viação 1001
Site: Viação 1001 – www.autoviacao1001.com.br

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

Serra dos Órgãos

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos, protege uma importante área de Mata Atlântica, onde ocorre montanhas e florestas preservadas e biodiversidade riquíssima em uma área com menos de 20.030 hectares, divididos pelos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.

Espécies de plantas e animais em extinção como o “Muriqui“, na Serra dos Órgãos é o único lugar no Brasil onde ocorre as duas espécies Muriqui-do-norte e Muriqui-do-sul, seu último refúgio contra a caça.

Em sua sede principal na cidade de “Teresópolis“, fica as principais atrações do parque, cachoeiras como a do “Poço do Jacaré” e a “Piscina do Parque“. A sede Teresópolis também é porta de entrada da “Travessia Petrópolis x Teresópolis“, conhecida internacionalmente por ser uma das melhores caminhadas de longo curso do mundo.

O “Parque Nacional da Serra dos Órgãos” é considerado um dos melhores locais do país para a prática de esportes de montanha, como escalada e montanhismo. Entre as escaladas destacam-se o “Dedo de Deus“, considerado o marco inicial da escalada no país e a “Agulha do Diabo“, reconhecida como uma das 15 mais difíceis escaladas em rocha no mundo.

[divider]■ PONTOS TURÍSTICOS[divider]

>> TERESÓPOLIS

# 1 Centro de Visitantes
O Centro de Visitantes é um local de apoio ao turista que chega ao parque, existe uma sala interativa sobre o Parnaso. Os visitantes encontrarão material impresso explicativo e uma maquete da área do Parque e suas montanhas.

# 2 Trilha Cartal Postal
Trilha com extensão de 1,2 Km, ao chegar encontra-se o Mirante do Cartão Postal onde é possível ver o Dedo de Deus e outras montanhas. É possível ver a Baía de Guanabara ao fundo e até a cidade de Niterói.

# 3 Trilha Mozart Catão
Esta trilha cruza pequenos cursos d’água e floresta de encosta até chegar ao Mirante Alexandre Oliveira, com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo. Os nomes da trilha e do mirante homenageiam dois alpinistas da cidade, mortos ao tentar escalar a face sul do Aconcágua, em 1998.

# 4 Trilha da Primavera
A trilha tem 15 minutos de caminhada leve, para todas as idades. O visitante experimenta a sensação de estar em uma mata preservada, sendo possível observar inúmeras espécies. Entre elas destaca-se o palmito-juçara (Euterpe edulis), espécie ameaçada de extinção pelo corte indiscriminado.

# 5 Trilha 360
n/d

# 6 Trilha Suspensa
A trilha suspensa começa na Praça da Barragem. A trilha possui piso de madeira e corrimão, permitindo acesso até a cadeirantes. Construída sobre um aqueduto do início do século XX, esta trilha corta um trecho de Mata Atlântica em nível elevado em relação ao terreno, permitindo ao visitante uma observação mais próxima da copa das árvores. No trecho final a trilha atinge grandes alturas em relação ao solo (até 8 metros) e permite belas visões da floresta e dos paredões do PARNASO. Uma escada dá acesso a poços do rio Paquequer, ótima opção de banho em dias quentes.

# 7 Estrada da Barragem
Estrada calçada em paralelepípedo com trânsito liberado para automóveis. É a via que dá acesso a todas as trilhas da Sede Teresópolis. Ideal para caminhadas de lazer, tem extensão de 3 Km e placas indicativas de distância em intervalos de 500 m. A estrada conta com vários mirantes, recantos para descanso, duchas e cascatas. A estrada termina na Praça da Barragem, ponto de captação de água para a cidade de Teresópolis.

#8 Trilha da Pedra do Sino
A Pedra do Sino é o ponto culminante da Serra dos Órgãos com 2.275m e lá do alto a vista alcança toda a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e parte do Vale do Paraíba, no lado continental. O acesso feito por trilha é um clássico do montanhismo. São cerca de 11 km (cinco a seis horas) de caminhada desde a sede do Parque, em Teresópolis, a 1.100 metros de altitude, até o ponto culminante da serra. O primeiro trecho é mais leve, por dentro da mata, com calçamento da época do Império. As duas cachoeiras no caminho são boas opções de parada. A trilha é acidentada e seu acesso é limitado a 100 pessoas por dia. A trilha é também o trecho final da tradicional travessia Petrópolis-Teresópolis.

# 9 Travessia Petropolis x Teresópolis
n/d

>> GUAPIMIRIM

#1 Centro de Visitantes e Museu von Martius
O Centro de Visitantes von Martius da Sede Guapimirim está instalado em casarão do século XIX, restaurado para a preservação de suas características originais. O casarão pertenceu à antiga Fazenda Barreira do Soberbo, sendo seu proprietário durante o Império o médico Henrique José Dias, que se dedicou ao plantio das quineiras (Cinchona calissaia).

O histórico casarão abriga exposição permanente com fotos e informações sobre o parque, uma maquete de toda a área do PARNASO, além de interessante coleção de exemplares das obras do botânico Von Martius, material especializado sobre meio ambiente, videoteca e um auditório para realização de cursos, palestras e seminários, equipado com TV e vídeo e com capacidade para 40 pessoas.

#2 Capela de Nossa Senhora da Conceição do Soberbo

Datada de 1713, esta histórica construção está situada em uma pequena ilha fluvial entre dois braços do rio Soberbo.

Construída em estilo barroco, o prédio é tombada pelo INEPAC e é um importante remanescente histórico do período de ocupação colonial do recôncavo da Guanabara. A capela é aberta quinzenalmente para a realização de missas e visitas (segundas, quartas e sábados do mês).

[divider]■ CACHOEIRAS[divider]

>> TERESÓPOLIS

# 2 Piscina Natural

Localizada próximo a entrada do Parque, atrai muitas famílias com crianças por ser local com mesas e áreas para piqueniques. O rio Paquequer proporciona um gostoso banho de cachoeira.

A trilha do Caxinguelê, que segue a borda do Rio Paquequer, é um passeio muito agradável, onde o visitante entra em contato com a natureza.

# 3 Poço dois Irmãos

Cachoeira localizada próximo à Piscina Natural, acesso por uma trilha de 50 metros, possui um poço profundo e duas pedras que formam uma barreira onde toda água passa por uma única saída. É possível fazer saltos da pedra maior, que possui uma caverna embaixo desta onde é possível respirar.

# 4 Poço do Castelo
n/d

# 5 Poço Ceci e Peri
n/d

>> PETRÓPOLIS

#1 Poço Paraíso
Belo local para banho a apenas 15 minutos de caminhada da portaria do Bonfim.

#2 Cachoeira Véu de Noiva
Localizada depois da Gruta Presidente, tem 32 metros de altura, ideal para prática de esportes radicais. Uma das preferidas de Dom Pedro, a queda d’água tem 35 metros de altura. Para chegar lá, há uma trilha leve, com pedras.

#3 Cachoeira das Andorinhas
A dez minutos da Véu da Noiva, a queda de 15 metros de altura e o poço abaixo convidam para um banho relaxante.

#4 Escalada da Pedra Comprida
São 22 vias de escalada em vários níveis. É considerada um “muro de escalada” natural do Vale do Bonfim.

#5 Gruta do Presidente
Opção de caminhada, considerada semi-pesada, local de prática de escalada e rapel. Ao lado da gruta existe um pequeno e agradável poço para banho.

#6 Pedra do Açu
Ponto mais alto do Setor Petrópolis (2.245m), é atingido após caminhada considerada pesada (aproximadamente 5 horas). Nos Castelos do Açú existe um abrigo de montanha, bem como local para camping e coleta de água.

>> GUAPIMIRIM

#3 Poço da Capela
Junto à histórica capela de Nsa. Sra. da Conceição do Soberbo é possível desfrutar de um bom banho neste poço com cachoeira.

#4 Poço do Sossego
Mais um recanto aprazível com um belo poço e cachoeira. O poço é sombreado por árvores repletas de bromélias e orquídeas. O acesso mais resguardado justifica o nome deste poço que recebe sol poucas horas por dia

#5 Poço da Ponte Velha
Junto às ruínas dos pilares de uma antiga ponte da estrada real encontra-se um agradável poço de águas quase sempre calmas e fácil acesso.

É possível parar veículos a cerca de 20 m do rio. Próximo ao poço existem sanitários e um quiosque que serve lanches e bebidas.

#6 Poço Verde
Principal atrativo natural da Sede Guapimirim, o Poço Verde é um conjunto de cachoeiras, corredeiras, poços artificiais e naturais do Rio Soberbo. Ótimo local para banho, localizado a 20 minutos de caminhada do Centro de Visitantes.

#7 Poço da Preguiça
Outra boa opção para banho, a 15 minutos de caminhada do Centro de Visitantes.

[divider]■ COMO CHEGAR[divider]

De Carro:
O acesso às sedes de Guapimirim e Teresópolis é bem fácil. Para quem vem do Rio de Janeiro deve seguir pela BR-040 e depois pegar a BR 116 (Rio-Teresópolis), até o primeiro acesso do parque na subida da serra na sede Guapimirim no Km 98 da rodovia.

Endereço: Km 98 da BR 116 – Guapimirim – RJ (subida da serra de Teresópolis)

A sede Teresópolis está localizada seguindo mais 12 Km adiante, no topo da serra junto à área urbana da cidade.
Endereço: Av. Rotariana s/no. Alto – Teresópolis – RJ

O acesso à sede Petrópolis no distrito de Corrêas, se dá pela BR-040 (Rio – Juiz de Fora). Do centro de Petrópolis até a portaria, o acesso é através da Estrada União-Indústria, que margeia o rio Quitandinha.
Endereço: Estrada do Bonfim, s/no. Corrêas – Petrópolis – RJ

De Ônibus:
Para a cidade de Teresópolis a Viação Teresópolis parte da Rodoviária Novo Rio na cidade do Rio de Janeiro com destino até Teresópolis. Diversas outras linhas do Nordeste com destino a cidade do Rio de Janeiro passam pela cidade pela BR-116 na entrada da cidade de Teresópolis. Para a cidade de Petrópolis as Viações Única e Fácil fazem o trajeto partindo da Rodoviária Novo Rio na cidade do Rio de Janeiro com destino até a cidade.

[divider]■ MAPA DA REGIÃO[divider]

[divider]■ ARTIGOS RELACIONADOS / SERRA DOS ÓRGÃOS[divider]

-> Parque Nacional da Serra dos Órgãos

-> 
Teresópolis

-> 
Guapimirim